19 de abril de 2024Informação, independência e credibilidade
Blog

Só para os amantes da idiotia Maceió ‘não tem nada’; Imagine se tivesse…

Pode ser também que para leviandade alheia seja pedir demais a leitura do poema “O Dia em Que Deus Criou Alagoas”

A idiotia não vai nunca tirar a nossa paz

“Maceió não tem nada”.

Foi a fala de uma aloprada que se sente um ser acima das estrelas. E de repente, de tão bizarra, pode até ser um ET.

Agora imagina se Maceió tivesse alguma coisa, na visão da tal influencer?

Aí, certamente ela iria querer instalar aqui o seu legado de idiotia para tentar se sobrepor ao mundo do pertencimento de cada nativo, apaixonado pela terra de patrimônio cultural e riquezas naturais, que ela, preconceituosa e sem conteúdo, jamais teria condições de perceber.

O mundo atual trouxe à evidência esse tipo de gente, que costuma fazer da bizarrice e da ignorância cultural a maneira mais proveitosa de viver, notadamente, cultuada e comemorada pelos iguais.

Para nós outros, Maceió é como um rito de Djavan. Ou seja, um bem querer que “é segredo, é sagrado/ está sacramentado em meu coração”.

Mas, querer que a futilidade entenda isso é pedir demais.

Para não gastar tempo, nem valorizar a leviandade alheia, fica, portanto, a recomendação do poema do saudoso Noaldo Dantas, com o título:

O dia em que Deus criou Alagoas

Escrevi certa vez que Deus, além de brasileiro, era alagoano.
Em verdade, não se cria um estado com tanta beleza, sem cumplicidade.
Sou capaz de imaginar o dia da criação de Alagoas.– Ô São Pedro, pegue o estoque de azul mais puro e coloque dentro das manhãs encarnadas de sol; faça do mar um espelho do céu povilhado de jangadas brancas; que ao entardecer sangre o horizonte; que aquelas lagoas que estávamos guardando para uso particular, coloque-as neste paraíso.– E tem mais, São Pedro: dê a esse estado um cheiro sensual de melaço e cubra os seus campos com o verde dos canaviais. As praias… Ora, as praias deverão ser fascinantementes belas, sob a vigilância de ativos e fiéis coqueirais. Faça piscinas naturais dentro do mar; coloque um povo hospitaleiro e bom; e que a terra seja fértil e a comida típica melhor que o nosso maná.– Dê o nome de Alagoas e a capital pela ciganice e beleza de suas noites, deverá chamar-se Maceió e a padroeira; Nossa Senhora dos Prazeres.