24 de maio de 2024Informação, independência e credibilidade
Expresso

Vigilância Sanitária recolhe 20 kg de resíduos de serviços de saúde contaminados em via pública

Descarte indevido dos materiais configura crime ambiental e infração sanitária

Vigilância Sanitária recolhe 20 kg de resíduos de serviços de saúde contaminados em via pública
Delegacia de Crimes Ambientais foi acionada para realizar perícia e identificar estabelecimento de saúde responsável pelo descarte irregular. Foto: Vigilância Sanitária

A Vigilância Sanitária de Maceió (Visa) recolheu, na última segunda-feira (6), no Poço, cerca de 20 kg de resíduos de serviços de saúde contaminados e descartados irregularmente em via pública. No local, havia medicamentos com os prazos de validade vencidos, agulhas e seringas usadas. Todo o material foi encaminhado para o descarte adequado, após o acionamento da Delegacia de Crimes Ambientais.

De acordo com o chefe especial da Visa, Airton Santos, o ato é irregular e a empresa responsável pelo descarte responderá por crime ambiental e infração sanitária. “A Delegacia de Crimes Ambientais foi acionada para realizar a perícia e identificar qual o estabelecimento de saúde foi responsável pelo descarte. A empresa responsável pelo descarte irregular deverá responder por crime ambiental e infração sanitária, cuja multa pode chegar a R$ 38 mil, no caso de reincidência de infração”, afirmou.

O descarte de resíduos de saúde é de responsabilidade dos hospitais, clínicas, laboratórios, consultórios, entre outros serviços, que devem possuir contrato com empresa especializada no gerenciamento do destino correto desse tipo de material para prevenir os riscos de contaminação do solo e da água.

A Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) nº 222/2018, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), regulamenta o gerenciamento das práticas corretas de descarte dos resíduos de saúde, sendo de cumprimento obrigatório pelos serviços.