19 de outubro de 2021Informação, independência e credibilidade
Brasil

Bolsonaro diz que não pode aceitar passivamente a prisão de aliados

Ele disse qie vai pedir também o impeachment do ministro Luiz Barroso

Bolsonaro critica as prisões de aliados que queriam fechar o STF

O presidente Jair Bolsonaro declarou que não se pode “aceitar passivamente” as prisões dos aliados, o ex-deputado Roberto Jefferson, o deputado Daniel Silveira (PSL-RJ) e o blogueiro bolsonarista Oswaldo Eustáquio, determinadas pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes.

Ele se manifestou nesta segunda-feira, 23, durante entrevista à Rádio Regional FM 91, de Registro (SP).

“Foi preso há pouco tempo um deputado federal e continua preso até hoje, em prisão domiciliar. A mesma coisa um jornalista, ele é jornalista, é blogueiro, também continua em prisão domiciliar até hoje. Temos agora um presidente de partido. A gente não pode aceitar passivamente isso, dizendo: ‘Ah, não é comigo’. Vai bater na tua porta”, comentou.

Na sexta-feira (20), em mais um capítulo do tensionamento entre os poderes, o presidente Jair Bolsonaro protocolou um pedido de impeachment contra o ministro Alexandre de Moraes no Senado. Ele assegurou também que entrará ainda com um pedido de impeachment contra o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso.

Bolsonaro caracterizou ainda que “não é justo” um magistrado da Corte determinar prisões por ser criticado e que os ministros deveriam “tolerar” comentários. “Se você acha que a crítica está exagerada, você entra na Justiça. Um ministro do Supremo Tribunal Federal mandar prender, isso não é justo. A crítica, por pior que seja, você tem que tolerar. A liberdade de expressão é ampla, é garantida a todos nós”, concluiu.