16 de abril de 2024Informação, independência e credibilidade
Expresso

Caso Chiquinho Brazão: ‘É difícil e sensível para todos nós’, diz Lira

Deputados à direita decidiram adiar julgamento na CCJ sobre o deputado acusado de mandar matar Marielle Franco

Arthur Lira se manifesta sobre o caso Chiquinho Brandão, após o pedido de vistas na CCJ

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), disse nesta terça-feira, 26, que seguirá o regimento e não colocará o relatório favorável à manutenção da prisão do deputado federal Chiquinho Brazão (sem partido-RJ) para ser votado nesta semana no plenário.

Lira lavou as mãos para a decisão da Comissão de Constituição de Justiça (CCJ) da Câmara, quando uma articulação da bancada da bala, do PL e PR, levou ao pedido de vistas para a discussão do caso.

Chiquinho Brandão está preso como mandante do assassinato da vereadora Marielle Franco (Psol-RJ) e do motorista dela, Anderson Gomes, crime ocorrido em março de 2018.

Segundo Arthur Lira, o caso do deputado acusado de ser o mandante do crime bárbaro “é um caso difícil e sensível para todos nós”.

Para Lira, o pedido de vistas na CCJ não traz prejuízo nenhum para o processo, porque todo o tempo que transcorrer é em desfavor do réu que continuará preso até que o plenário se posicione em votação aberta. ”

Os deputados Gilson Marques (Novo-SC), Roberto Duarte (Republicanos-AC) e Fausto Pinato (PP-SP) solicitaram vista do relatório, o que resultou na necessidade de mais tempo para análise do caso.