26 de setembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Alagoas

Davi Maia apresenta novas denúncias de assédio moral e pagamento de “supersalários”

Deputado relatou que na quinta-feira da semana passada realizou uma fiscalização no Hospital Metropolitano de Alagoas

O deputado Davi Maia (DEM) apresentou novas denúncias contra a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) que lhes foram relatadas por funcionários do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e novos pagamentos de “supersalários” feitos pelo Governo do Estado a outros profissionais da saúde ligados ao secretário Executivo da pasta, sargento Marcos Ramalho.

Na sessão ordinária desta terça-feira, 24, Maia relatou que na quinta-feira da semana passada realizou uma fiscalização no Hospital Metropolitano de Alagoas, no intuito de analisar as escalas de plantões dos profissionais que atuam na unidade de saúde, mas que seu direito – enquanto cidadão e parlamentar – foi negado pelo diretor de Recursos Humanos do hospital.

“Os funcionários denunciam que estão trabalhando há quase dois meses sem escalas prévias. Documento que todos sabemos deve ser entregue com pelo menos 15 dias de antecedência do início do mês vigente”. Davi Maia.

Maia prosseguiu contando que no dia seguinte realizou uma visita ao Samu, onde pode constatar que a realidade da unidade é de extrema gravidade.

“As ambulâncias quebradas, enfermeiros que descansam amontoados dentro de uma pequena sala, inclusive desrespeitando uma lei aprovada por esta Casa”, informou Davi Maia, apresentando outra denúncia que considerou muito grave: ambulâncias sem manutenção e com pneus carecas.

“Não tem cinto de segurança e nem capacidade para transportar qualquer indivíduo, especialmente um paciente”, contou o parlamentar. O deputado ouviu relatos de funcionários que afirmam estar sendo alvos de assédio moral, inclusive da existência de um procedimento, instaurado no Ministério Público Estadual, em 2020, para apurar tais denúncias.

“Como se trata do bem-estar de enfermeiros, técnicos de enfermagem e auxiliares de enfermagem, apresentei um pedido de investigação no Conselho Regional de Enfermagem (Corem), com a intenção de que esse órgão fiscalize e investigue as denúncias de assédio moral, assim como a situação de trabalho a que esses profissionais estão sendo submetidos”. Davi Maia.

O pronunciamento foi aparteado pelos deputados Cabo Bebeto (PTC) e Dudu Ronalsa (PSDB). O primeiro se alinhou à fala do democrata, especialmente no que diz respeito a obter dados que comprovem os relatos dos servidores da Sesau.

“O alagoano está ansioso pela apuração dessa farra da saúde e espero que esta Casa engrosse o coro dos que querem investigar e esclarecer esses fatos com a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI)”. Cabo Bebeto.

Já o deputado Dudu Ronalsa, ao se posicionar sobre o assunto, pediu a Maia que as denúncias de assédio moral fossem encaminhadas à Comissão de Direitos Humanos (CDH) da Casa, para que esta possa auxiliar nas investigações.

Governo

Em aparte, o líder do Governo no Parlamento, deputado Silvio Camelo (PV), assegurou que a questão das ambulâncias já está sendo resolvida, uma vez que já foram licitadas e contratadas, pelo Executivo, 150 novas viaturas para atender a população.

Camelo destacou ainda as ações do Governo para a melhoria da saúde no Estado, citando como exemplo a construção de 10 novos hospitais e de sete Unidades de Pronto Atendimento (Upas).

Já o deputado Ronaldo Medeiros (MDB) observou que toda denúncia deve vir amparada por dados. “Vossa excelência (Davi Maia) se pega a apenas um fato e tenta generalizar”, apontou Medeiros.

“O sistema de saúde do município de Maceió era e continua caótico. Atendimento do PSF (Programa Saúde da Família) continua tendo uma das menores coberturas do Brasil entre as capitais”, disse, reforçando a ideia de que Estado e municípios devem ser parceiros para que as ações possam obter melhores resultados.