21 de maio de 2024Informação, independência e credibilidade
Blog

Demitidos das Gazetas protestam contra Ministério Público “gatinho”

Há um ano, órgão tem em mãos graves indícios de crimes falimentares cometidos pelas empresas do ex-senador Fernando Collor Mello, mas, não toma providências

Protesto começou pela manhã, em frente ao Cepa | Cortesia

Profissionais demitidos da Organização Arnon de Mello (OAM) que estão até hoje sem receber seus direitos não deixaram a data passar em branco. Esta terça-feira, 10 de outubro, marca um ano que o Ministério Público de Alagoas (MPAL) tem, em mãos, graves indícios de crimes falimentares cometidos pelas empresas do ex-senador Fernando Collor Mello durante o processo de recuperação judicial iniciado em 2019.

E, como um gatinho diante de um político sem mandato, mas, com certa influência, o órgão não dá sinais de que vai abrir a investigação. A omissão do MPAL estende o calvário de centenas de trabalhadores, alguns deles desligados da empresa há cinco anos sem, sequer, terem um saldo do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para se equilibrarem após perder sua fonte de renda.

Grupo seguiu para a sede do MPAL | Cortesia

O protesto começou pela manhã, na passarela do Cepa, na Avenida Fernandes Lima, a mais movimentada da capital. E se estendeu até a sede do MPAL, no bairro do Poço. De forma ordeira e pacífica, os jornalistas estenderam uma faixa com a mensagem “MPAL há um ano fala de crimes, mas não investiga as empresas de Collor. Por quê?”.

Uma pergunta simples, porém, intrigante, que os gatinhos do Ministério Público têm a obrigação de responder.

Jornalistas conseguem falar com promotor

O protesto parece ter dado resultado. Finalmente, o grupo de jornalistas descobriu que o processo corre na 64ª Promotoria, sob responsabilidade do promotor Bolívar Cruz Ferro. Pressionado, ele se esquivou da culpa pela demora no processo por somente ter recebido a incumbência agora em setembro, no dia 12, ou seja, 11 meses depois das denúncias terem chegado ao órgão.

Porém, somente hoje (10) encaminhou ofício à Polícia Civil para que o inquérito seja iniciado. Para qual delegacia? Ele não sabe. Na próxima semana, os jornalistas voltam a fazer contato para saber se houve avanços.

Se a resposta é convincente? Somente o tempo dirá se o miado se transformará em rugido.

One Comment

  • Avatar Carlos

    O Collor manda no MP, haja vista a quantidade de altos cargos comissionados que são indicações dele, a maioria nem tem competência para o cargo que ocupam, mas ninguém pode mexer nisso.

Comments are closed.