25 de julho de 2021Informação, independência e credibilidade
Alagoas

Francisco Tenório lamenta vítimas da Covid-19 e critica decisão que liberou campanha eleitoral

Deputado acredita que TSE deveria ter suspendido o pleito eleitoral e prorrogado os mandatos das pessoas que estavam nos cargos

O deputado Francisco Tenório (PMN) usou a tribuna da Assembleia Legislativa nesta terça-feira, 15, para lamentar a morte de parentes e amigos por conta da Covid-19 e para criticar a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de permitir que acontecessem as eleições num período de pandemia.

Na avaliação do parlamentar, o presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, deveria ter suspendido o pleito eleitoral e prorrogado os mandatos das pessoas que estavam nos cargos.

“As aglomerações são naturais de campanhas e, lamentavelmente, o presidente do TSE fez uma campanha pública para que fossem realizadas as eleições. Ele foi ao Congresso Nacional e à imprensa fazer uma campanha aberta contra a prorrogação de mandatos, alegando que era antidemocrático, como se este fato fosse mais importante do que as vidas humanas que foram perdidas em função dos efeitos da campanha política”. Francisco Tenório.

O deputado disse que neste momento a população se depara com um aumento de casos de Covid-19.

“Um aumento escandaloso de contaminações e mortes. Isso fica mais evidente quando os casos atingem as pessoas com quem temos convívio direto”. Francisco Tenório.

Ele lembrou membros de sua família vitimados pelo coronavírus e solicitou à Casa o registro de Voto de Pesar.

“Meu primo Claudenor Tenório, natural de Chã Preta; meu grande amigo Pedro Alves dos Santos, foi bancário junto comigo; e, ontem à noite, tivermos a tristeza de receber a notícia do falecimento do meu parente e amigo, Aluísio Braga Neto, conhecido como Lula Tenório, que também era funcionário da Assembleia Legislativa”. Francisco Tenório.

Em aparte, os deputados Inácio Loiola (PDT), Antonio Albuquerque (PTB) e Dudu Ronalsa (PSDB) se solidaram com o discurso e também creditaram a responsabilidade deste aumento de casos de Covid-19 à Justiça Eleitoral.