25 de junho de 2022Informação, independência e credibilidade
Alagoas

Inácio Loiola fala da degradação do rio São Francisco

Deputado ainda elogiou plano do Governo Paulo Dantas

Em pronunciamento na sessão desta quarta-feira, 8, o deputado Inácio Loiola (MDB) elencou alguns projetos que fazem parte do plano de Governo do chefe do Executivo  alagoano, Paulo Dantas.

O parlamentar também falou sobre o processo de degradação do rio São Francisco, aproveitando a discussão do dia anterior, quando Gilvan Barros Filho (MDB) criticou o desabastecimento em Piaçabuçu.

“O rio São Francisco está em processo de degradação, sem evasão ecológica, que se dá quando não há água suficiente para entrar no mar, e o mar invade o rio”, explicou o deputado, relatando a água salgada e barrenta. O Ibama estabeleceu que a vazão mínima seria de 1320 m³.

“Hoje estamos com menos de 1200 m³. Na minha opinião, a vazão mínima deveria ser 1500 m³”, alertou Loiola, reforçando que o São Francisco representa 70% do potencial hídrico do Nordeste.

“Mesmo assim, nenhum governador até então fez uma política de oferta de água para consumo humano, animal e agrícola, até o governador Paulo Dantas incluir em seu plano”, enalteceu o deputado.

Diante do volume de água em todo o Estado, mesmo no Sertão, ainda que perene, Loiola elogiou o plano de Governo de Dantas.

“O governador quer recuperar e revitalizar rios, como Paraíba e Mundaú, com um plano revolucionário”, exaltou o deputado, citando um tripé básico para o desenvolvimento econômico: água, estrada e energia.

Apontando a região de Mata Grande, na divisa de Pernambuco, como tendo grande potencial energético, Loiola afirmou que Dantas vai implementar parques eólicas e usinas solares no Estado.

Em aparte, o deputado Davi Maia (União Brasil) e a deputada Jó Pereira (PSDB) criticaram o Governo anterior. Maia lembrou a ausência de representantes do Executivo nas reuniões da Comissão do Conselho de Energia e a falta de investimentos em obras de barramento e prevenção de desastre.

Os deputados Tarcizo Freire (PP) e Lobão (MDB) elogiaram o colega pela abordagem do tema e seus esclarecimentos sobre o assunto. Já o deputado Francisco Tenório (PP) criticou a Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) por não padronizar o controle de vazão.