25 de julho de 2021Informação, independência e credibilidade
Esportes

Laboratório de Maceió chama dirigentes do Avaí de “irresponsáveis” e promete tomar providências

Clube catarinense insinuou que a clínica, tem um dirigente do CSA como sócio, teve a finalidade de prejudicá-lo

Em nota oficial divulgada na noite da última segunda-feira (18), o laboratório Lufer se manifestou sobre o “Caso Valdívia” e disparou críticas contra os dirigentes do Avaí pelas insinuações feitas no último sábado.

“O Laboratório e seus sócios repudiam, veementemente, todas as acusações levianas e tomará as providências que o caso requer, visando resguardar seus direitos e a idoneidade dos envolvidos”. Trecho da nota.

No intervalo do jogo entre CSA e Avaí, no Rei Pelé, o clube catarinense foi comunicado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) que Valdívia havia testado positivo para a Covid-19. O camisa 10 acabou sendo substituído.

Após a partida, dirigentes do Avaí disseram estranhar a rapidez com que foi divulgado o resultado do teste e insinuaram que isso aconteceu para prejudicar o clube catarinense, alegando que um dos sócios do laboratório era Lumário Rodrigues, superintendente do CSA.

O Avaí fez uma contraprova em outro laboratório e o resultado também deu positivo. Mesmo assim, a diretoria protocolou, na última segunda-feira, um pedido de anulação da partida no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) alegando “interferência externa”.

Nota na Íntegra:

LUFER CENTRO DE DIAGNÓSTICOS é uma empresa alagoana que atua no ramo laboratorial e de diagnósticos, desde 2001, pautando suas atividades dentro dos mais rígidos padrões éticos e profissionais, sendo seus sócios pessoas conhecidas da sociedade alagoana, moralmente respeitados e, no último sábado, 16, foram atingidos em sua honra, empresa e sócios, de forma graciosa e irresponsável, pelos dirigentes do AVAÍ FUTEBOL CLUBE, notadamente, seu Presidente Francisco José Battistotti e o médico Pedro Araújo, imputando ao Laboratório e a um de seus sócios, José Lumário Vasconcelos Rodrigues, manobra para prejudicar seu time, após tomarem conhecimento de que um de seus atletas estaria positivado com presença do RNA de Coronavírus SARS-CoV-2.

O LUFER, após ter seus serviços colocados em dúvida, mesmo sabendo da falsidade da denúncia, aguardou pacientemente a contraprova realizada em outro conceituado laboratório da Cidade, para manifestar-se, em respeito à sociedade alagoana e brasileira, uma vez que a imputação desonrosa foi notícia no Brasil e no mundo, via redes sociais e toda imprensa.

O Laboratório e seus sócios repudiam, veementemente, todas as acusações levianas e tomará as providências que o caso requer, visando resguardar seus direitos e a idoneidade dos envolvidos.