26 de setembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Maceió

Mergulhadores da BRK realizam vistoria em estrutura de 2.820 metros do Emissário de Maceió

Inspeção promovida pela BRK Ambiental avaliará as condições do sistema responsável pela disposição oceânica de esgoto tratado e subsidiará projeto de reestruturação de toda a unidade

A BRK Ambiental contratou uma equipe de mergulhadores especializados em vistorias de tubulações para uma avaliação detalhada do estado de conservação da estrutura submersa do Emissário Submarino de Maceió.

O trabalho técnico de diagnóstico, já iniciado pelos profissionais, é a primeira etapa de um projeto macro para readequação de todo o sistema, que é responsável pelo tratamento e disposição oceânica do esgoto descartado por mais de 90% da rede coletora operada pela empresa na capital.

Durante três meses, os mergulhadores farão inspeções ao longo dos 2.820 metros de estrutura submersa para a identificação de pontos de deterioração, além de possíveis obstruções e assoreamentos nos difusores, dispositivos que garantem uma melhor diluição do esgoto tratado no mar.

A equipe de profissionais também vai analisar o estado do revestimento protetor dos 600 metros de tubulação exposta no píer, bem como a espessura e as condições de assoreamento da tubulação submersa.

Além da avaliação da estrutura submarina e do píer, a BRK Ambiental também realizará um diagnóstico detalhado das condições da Estação de Condicionamento Prévio, onde é realizado o tratamento primário dos efluentes antes de serem dispostos no oceano.

Os pareceres técnicos dos equipamentos do Sistema de Disposição Oceânica, principal base operacional da BRK Ambiental, subsidiarão o planejamento e a execução do projeto de reestruturação de todo o complexo, que ganhará uma série de melhorias operacionais ao longo dos próximos três anos, tempo estimado para a conclusão de todas as obras.

“Esse é um trabalho extremamente importante para conhecer as condições em que o sistema opera atualmente e saber quais investimentos serão necessários para garantir a excelência da unidade no tratamento e na disposição do esgoto, em conformidade com a legislação ambiental. É uma avaliação minuciosa que será determinante para o planejamento e a execução dos serviços de engenharia voltados para o avanço do esgotamento sanitário da capital”. Herbert Dantas, diretor Operacional da BRK Ambiental.

Desde que a empresa assumiu a operação, em 1° de julho, a unidade já recebeu diversas melhorias estruturais. Para abrigar os funcionários responsáveis pela operação na base, foram realizadas melhorias nas áreas de convivência, estacionamento e fachada. Além disso, a segurança do local foi reforçada para controlar o acesso ao ambiente operacional e evitar acidentes.

O Emissário Submarino de Maceió possui 1,2 metro de diâmetro e um comprimento total de 3.600 metros, sendo 180 metros de tubulação enterrada, da caixa de areia até o início do píer, 600 metros de tubulação aérea, do início do píer até a torre de carga em concreto, 2.520 metros de tubulação submersa e 300 metros de difusor.

O esgoto tratado pela Estação de Condicionamento Prévio é lançado pela estrutura submarina a uma profundidade mínima de 15 metros, em um ponto onde a distância da praia e a direção da corrente marítima são adequadas para a diluição, dispersão e decaimento das cargas poluentes.