25 de junho de 2022Informação, independência e credibilidade
Brasil

Ministro do turismo acusado de corrupção volta a compor governo

Ele hacia sido exonerado para tomar posse na Câmara

O mineiro Marcelo Álvaro Antonio, deputado federal (PSL) voltou a ser ministro do Turismo, 24 horas depois de ter sido exonerado para tomar posse no mandato parlamentar na câmara.

O retorno ao ministério teve portaria publicada no Diário Oficial da União na madrugada desta quinta-feira, 7, com data da véspera. O decreto é assinado pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo ministro da Justiça, Sérgio Moro.

O ministro foi denunciado como líder de um esquema de corrupção com recursos do fundo partidário, em Minas Gerais. Pelo esquema, ele usou laranjas e firmas terceirizadas para se apropriar dos recursos que haviam sido repassados ao partido. O esquema foi denunciado pela imprensa nacional, a  partir de matéria do jornal Folha de S. Paulo.

Marcelo Álvaro Antônio
O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, chegou de cadeira de rodas tomou posse como deputado federal no plenário da Câmara Foto: Dida Sampaio/Estadão

Na madrugada anterior, a publicação da exoneração de Antônio – cujo nome de batismo é Marcelo Henrique Teixeira Dias – levantou a hipótese de que ele havia sido de fato demitido por Bolsonaro, já que enfrenta, desde o início da semana, acusações de ter montado um esquema de candidaturas laranja para desviar dinheiro do fundo partidário.

Já na quarta pela manhã o governo esclareceu que a exoneração duraria 24 horas, o suficiente para que o mineiro assumisse como deputado na Câmara, uma formalidade que não conseguira cumprir no dia 1º – data em que os parlamentares tomaram posse -, pois estava afastado por problemas médicos.

Antônio nega as acusações de que tenha participado do suposto esquema de desvio de verbas durante as eleições.