14 de junho de 2024Informação, independência e credibilidade
Blog

No dia D da janela partidária há quem tope o vale tudo: até pisar no pescoço da mãe

Afinal, político sem mandato nem o vento bate nas costas

Hoje, 05 de abril, é o dia D para os políticos que estão de olho nas eleições municipais e pretendem mudar de partido. O vale tudo neste caso é costumeiro, principalmente para os pré-candidatos.

A “janela partidária” é prevista na Lei dos Partidos Políticos (Lei nº 9.096/95) e beneficia candidatos eleitos em pleitos proporcionais (vereadores, deputados estaduais, federais e distritais). É uma espécie de liberou geral para a mudança de partido.

E de tal maneira que a maioria esquece ideologia, ao ponto de bolsonarista tentar entrar no PT para garantir a eleição ou a reeleição, nos embrenhados das composições de cada coligação.

E é desta forma que todos se igualam e se nivelam. O objetivo para chegar ao poder transcende a qualquer princípio ético e programático no meio político.

De tal forma que todos partem de um ensinamento dos mais antigos na área, que diz: -Político sem mandato nem o vento bate nas costas!

Então hoje, o dia termina com “o berro, bebo e brigo”, em nome da conquista do poder.

Para alguns, neste caso, vale até pisar no pescoço da mãe.