24 de maio de 2022Informação, independência e credibilidade
Alagoas

PP vai outra vez ao STF para evitar eleição de governador tampão de Alagoas

Governistas acusam guerra judicial, exposta como pendenga, ao sabor dos interesses nada republicanos

Eleição do governador tampão foi marcada para o próximo domingo

Bastou o ministro Gilmar Mendes autorizar a eleição do governador tampão na Assembleia Legislativa de Alagoas para o Partido Progressista, do presidente da Câmara Federal, Arthur Lira, recorrer outra vez ao Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar evitar a eleição, marcada para o próximo domingo.

O PP, em ação ao STF pediu para a corte suspender imediatamente o edital, publicado pela Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE), e, consequentemente, a eleição para governo-tampão.

Segundo o advogado Yuri de Pontes Cezario, “a decisão [do ministro-relator, Gilmar Mendes] deixa lacunas que, pelo novo edital publicado, ferem claramente a ampla competitividade e a própria efetividade da medida cautelar deferida”, destacou o advogado.

Ele garantiu que o recurso foi ingressado para contestar, principalmente, o prazo estipulado pela Assembleia Legislativa para as inscrições das chapas. Yuri Pontes acredita que o intervalo de tempo para o registro das composições e o pleito é muito curto, o que, na opinião dele, “inviabiliza, na prática, as articulações para formação das chapas”.

Para os governistas, a guerra judicial estabelecida pela oposição não é nada republicana. Diz que se trata de uma pendenga e tem sido exposta ao sabor dos interesses políticos do grupo não alinhado ao ex-governador de Alagoas, Renan Filho (MDB), hoje pré-candidato ao Senado Federal.