27 de outubro de 2021Informação, independência e credibilidade
Alagoas

Prefeitura inicia imunização em abrigos de Maceió

Na manhã desta segunda-feira (27) foram vacinadas as idosas que vivem na Casa Luíza de Marilac

Dona Maria Vieira recebeu a 3ª dose contra a Covid-19 nesta segunda-feira (27). Fotos: Polyanna Monteiro/Ascom SMS

A aplicação da terceira dose para idosos que vivem em Instituições de Longa Permanência (ILPIs) teve início na manhã desta segunda-feira (27) com a imunização das mulheres de 60 anos ou mais que moram na Casa para Velhice Luíza de Marilac, na Santa Amélia.

No total, 29 mulheres residentes na instituição foram imunizadas contra a Covid-19. Demais idosos institucionalizados irão receber o imunizante nos abrigos em que vivem, seguindo programação ajustada entre os locais e a Gerência de Imunização de Maceió.

Maria Vieira, de 86 anos, recebeu sua dose de reforço e falou emocionada sobre seu sentimento com a imunização. “Para mim, a vacina é a maior riqueza que a gente pode ganhar nesse momento em que tantas pessoas estão sofrendo com essa doença. Eu me emociono nesse dia porque sei que só vacinados nós vamos ficar bem e seguros”, disse.

Solange Araújo é coordenadora administrativa no local e fala que vê a vacinação das moradoras como um grande e emocionante presente. “Nós passamos a pandemia inteira muito preocupados com a saúde de todas e ver elas recebendo a terceira dose no dia de hoje é uma emoção indescritível, pois agora ficamos mais seguros de que esse vírus não irá invadir nosso lar”, comemorou.

Solange encara a vacinação das moradoras como um presente

O atendimento a todas as ILPIs vem ficando sob responsabilidade das equipes volantes da Saúde Municipal, que têm atuado também em outros locais como associações, instituições prisionais e nas residências de pessoas acamadas que se cadastraram pelos canais oficiais do município.

Enfermeira e responsável pela equipe de vacinação no local, Dulcilene Omena ressalta que o trabalho volante da Saúde é essencial para que o Município possa alcançar aqueles que possuem algum tipo de impedimento ou dificuldade de comparecer nos pontos distribuídos pela cidade.

“É um trabalho que tem feito toda a diferença na vida dessas pessoas que não conseguem se direcionar aos pontos e, provavelmente não iriam ser imunizadas se não viéssemos até elas. O resultado sempre é muito gratificante, pois vemos a emoção nos olhos de cada pessoa que passa a se sentir aliviada e mais segura contra esse vírus tão perigoso”, destacou a enfermeira.

Vacinação dos demais públicos

A Prefeitura segue disponibilizando em todos os pontos de vacinação de Maceió a primeira dose para adolescentes de 12 a 17 anos com e sem comorbidades e remanescentes de outros grupos que não tenham iniciado a imunização. Também estão disponíveis, nos locais, a segunda dose para adultos e a terceira dose para pessoas com 70 anos ou mais que tenham completado seis meses da segunda dose, além dos imunossuprimidos com pelo menos 28 dias após terem tomado a 2ª dose.

Terceira dose para pessoas acamadas

As pessoas acamadas que tomaram a primeira e a segunda doses em Maceió e já estão cadastradas na base de dados da Prefeitura com essa condição serão contatadas e atendidas pelas equipes de vacinação extramuros. As que vieram a ficar acamadas ao longo desse período precisam ligar para o número 3312-5589 e se cadastrar para receber a equipe de vacinação em casa.

Intercambialidade para terceira dose

A Nota Técnica n° 43/2021 do Ministério da Saúde recomenda a intercambialidade entre vacinas para terceira dose. Ou seja, todo esse público tomará vacinas diferentes das que foram administradas nas doses anteriores. Quem tomou as duas doses da Coronavac e da Astrazeneca tomará a terceira dose da Pfizer, já quem tomou as duas doses da Pfizer tomará a dose complementar da Astrazeneca.

Documentos necessários

Para se vacinar com a primeira dose, é necessário apresentar certidão de nascimento ou documento de identificação com foto, CPF e comprovante de residência (original e cópia).

Para a segunda dose, basta apresentar o documento de identificação com foto e o cartão de vacinação. Quem perdeu o cartão pode solicitar a segunda via no posto onde tomou a primeira dose.

Pessoas com deficiência visual que, ao tomar a primeira dose, tenham recebido o cartão convencional, podem solicitar a substituição pelo cartão em braile no ponto onde forem tomar a segunda.

Para se vacinar com a terceira dose, pessoas idosas devem apresentar documento de identificação com foto, comprovante de residência (não precisa cópia) e o cartão de vacinação com as informações da etapa anterior. Pessoas imunocomprometidas devem apresentar, além do documento de identificação e do comprovante de residência, um dos citados abaixo:

– Prescrição médica com justificativa;

– Exames específicos que estabeleçam o diagnóstico;

– Relatório médico;

– Receitas para terapêutica específica de condições descritas;

– Guia de Encaminhamento específico.

Imunossuprimidos que devem tomar a terceira dose

I – Imunodeficiência primária grave.

II – Quimioterapia para câncer.

III – Transplantados de órgão sólido ou de células tronco hematopoiéticas (TCTH) uso de drogas imunossupressoras.

IV – Pessoas vivendo com HIV/AIDS.

V – Uso de corticóides em doses ≥20 mg/dia de prednisona, ou equivalente, por ≥14 dias.

VI – Uso de drogas modificadoras da resposta imune (vide tabela 1).

VII – Auto inflamatórias, doenças intestinais inflamatórias.

VIII – Pacientes em hemodiálise.

IX – Pacientes com doenças imunomediadas inflamatórias crônicas

Drogas modificadoras da resposta imune e doses consideradas imunossupressoras

1. Metotrexato

2. Leflunomida

3. Micofenolato de mofetila

4. Azatiprina

5. Ciclofosfamida

6. Ciclosporina

7. Tacrolimus

8. Mercaptopurina

9. Biológicos em geral (infliximabe, etanercept, humira, adalimumabe, tocilizumabe, Canakinumabe, golimumabe, certolizumabe, abatacepte, Secukinumabe, ustekinumabe)

10. Inibidores da JAK (Tofacitinibe, baracitinibe e Upadacitinibe)