28 de maio de 2022Informação, independência e credibilidade
Alagoas

Projetos com mão de obra carcerária serão interiorizadas

Iniciativa da Seris de ocupar os internos, capacitá-los e promover a reintegração tem o reconhecimento de parlamentares e gestores municipais

Secretário Marcos Sérgio em audiência com deputado Sílvio Camelo e o secretário-executivo de Planejamento de São Miguel dos Campos, Cláudio Júnior. Ascom/Seris

As ações de reintegração social das pessoas recolhidas ao sistema prisional voltadas para beneficiar áreas externas, como melhoria em logradouros e demais espaços públicos, podem se tornar mais regulares e alcançar de modo abrangente o interior de Alagoas.

Iniciativas dessa natureza já são realizadas pela Secretaria de Ressocialização e Inclusão Social (Seris), de um lado, como atividades laborais, para ocupar os internos, capacitá-los e promover a reintegração; de outro, para fazer com que o cumprimento de penas traga benefícios práticos para a sociedade.

A interiorização foi um dos temas em pauta de audiência concedida pelo titular da Seris, Cel. PM Marcos Sérgio de Freitas, com o líder do Governo na Assembleia Legislativa (ALE), deputado Sílvio Camelo. O parlamentar estava acompanhado pelo secretário-executivo de Planejamento de São Miguel dos Campos, Cláudio Júnior.

De início, os representantes do Legislativo estadual e da Prefeitura de São Miguel dos Campos parabenizaram o secretário Marcos Sérgio de Freitas por ações promovidas pela Seris, que, como destacaram, “levam dignidade aos apenados e beneficiam sociedade, que conta com mão de obra carcerária”.

“Recebi uma solicitação da Prefeitura de São Miguel dos Campos para que pudéssemos interceder junto à Secretaria de Ressocialização para interiorizar as ações da pasta. Dessa maneira, São Miguel dos Campos seria a cidade escolhida para que pudéssemos abranger várias outras cidades como Boca da Mata, Teotônio Vilela, Jequiá da Praia, Roteiro e Barra de São de Miguel”, disse o deputado Sílvio Camelo.

“São importantes as ações que a Secretaria faz, de ressocialização, de pegar o detento e introduzir no mercado de trabalho trazendo vários benefícios para ele e para a sociedade. É muito importante que o interior do estado tenha a possibilidade de participar desses programas”.

“Primeiro parabenizar o coronel pelo trabalho de ressocialização e entender melhor como a Seris funciona. Sou fã de um projeto que é o Escritório Social (assistência às pessoas que vivenciam a realidade do sistema prisional). A assistência se dá por meio de ampla articulação e da política de ressocialização. O grande motivo é interiorizar, tentar levar os principais serviços para a cidade de São Miguel dos Campos. Eu acredito nessa política de empregabilidade”. Cláudio Júnior, secretário.

Um desses projetos é “Uma nova história”, criado pela necessidade de inclusão social de apenados, que acaba por beneficiar a sociedade com serviços de limpeza, manutenção e restauração de espaços públicos, utilizando mão de obra carcerária.