26 de junho de 2022Informação, independência e credibilidade
Justiça

‘Toda adoção é um ato de amor’, ressalta presidente do TJAL em evento no Maceió Shopping

José Carlos Malta participou da abertura de evento no qual interessados podem tirar dúvidas sobre os procedimentos

Presidente José Carlos Malta durante Encontro de Adoção, no Maceió Shopping. Presidente José Carlos Malta durante Encontro de Adoção, no Maceió Shopping. Foto: Caio Loureiro.

“Esse é o 11º Encontro Estadual de Adoção, mas poderia ser o 11º Encontro Estadual do Amor, porque toda adoção é um ato de amor”.

A frase é do vice-presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas, José Carlos Malta Marques, no exercício da Presidência, que participou da abertura do evento no Maceió Shopping, nesta segunda-feira (23).

O Encontro tem programação durante todo o dia, e continua na terça e quarta-feira. A juíza Fátima Pirauá, da 28ª Vara Cível da Capital  (Infância e Juventude), abriu o evento falando sobre as regras do Estatuto da Criança e do Adolescente quanto ao acolhimento institucional e às famílias substitutas.

“Aqui a gente vai tirar todas as dúvidas, quais os requisitos, a diferença de idade entre quem vai adotar e quem vai ser adotado, a preparação, e a capacitação para o adotante. Esse contato com as pessoas é muito importante. Teremos aqui também casais que adotaram, inclusive que adotaram crianças maiores, e vão dar um testemunho de que dá certo também, não é só bebê que pode ser adotado”.

Ainda nesta manhã, a juíza Soraya Maranhão falou sobre entrega voluntária de bebês por mães que não se julgam aptas a criar um filho, que é um direito legal das mulheres.

“Se ela tiver esse desejo de entregar a criança para adoção, pode se direcionar a uma Vara da Infância e Juventude. É um tema bastante relevante e ainda existe pouca informação. Às vezes a mulher não sabe e abandona a criança ou entrega a terceiros, mas isso não trará nenhuma garantia de direitos para a criança”.

A advogada Valéria Sampaio compareceu ao evento para buscar informações e fazer o pré-cadastro.

“Hoje com essa oportunidade, estamos trazendo a documentação para me habilitar à adoção. É uma vontade que eu tenho, que se transmite em todas as formas da minha vida. É uma realização pessoal, como também o desejo de ajudar outras pessoas”.

Confira o restante da programação:

Dia 24.05 (terça-feira)
Rodas de conversa 

10h – Infância e Juventude – O que leva uma família a perder o Poder Familiar? (Dra. Jheise Gama – Promotora de Justiça da 28ª Vara Infância e Juventude) 

11h – Preconceitos em relação a origem biológica (Camila Loiola – psicóloga da 28ª Vara Infância e Juventude)

13h – Conheço alguém que quer dar o filho, posso adotar? (Myrna Oliveira – psicóloga 28ª Vara Infância e Juventude)

14h – Posso visitar crianças que estão em uma instituição de acolhimento (abrigo)?  (Rafaela Monteiro – Assistente Social da Instituição de Acolhimento Rubens Colaço)

15h – Como funciona o grupo de apoio à adoção? Representantes do GAAAL

16h – SNA – O que é a fila da adoção? (Hamilton Azevedo – Secretário da Coordenadoria Estadual da Infância e Juventude)

17h – Estou habilitado/a, o que fazer enquanto espero meu/minha filho/a? (Denise Barros psicóloga do Lar Batista Marcolina Magalhães)

18h – Reunião do Grupo de apoio à adoção de Alagoas – GAAAL

20h – Trâmites do processo de adoção (Mariana Navarro – advogada e mãe por adoção)

Dia 25.05 (quarta-feira)
Rodas de conversa 

10h – Quero adotar  uma criança ou adolescente. O que fazer? (Gleissyan Sampaio – assistente social 28ª 28ª Vara Infância e Juventude)

11h – Caminhos da Adoção: da habilitação até a chegada da criança (Priscilla Azevedo, assistente social da 28ª Vara Infância e Juventude);

14h – Projeto de Apadrinhamento (Fátima Malta, psicóloga da 28ª Vara Infância e Juventude);

15h – Importância da rede de apoio na adoção (Elisângela Ferreira – assistente social da Coordenadoria Estadual da Infância e Juventude)

16h – Conheço alguém que quer dar o filho, posso adotar? (Milena Ferro – assistente social da Coordenadoria Estadual da Infância e Juventude)

17h – SNA – O que é a fila da adoção? (Hamilton Azevedo – Secretário da Coordenadoria Estadual da Infância e Juventude)

        19h – LIVE: Parentalidade Adotiva: caminhos possíveis 
Subtemas:
           1. Adoção Segura e para sempre: abordar riscos de uma adoção irregular (intuitu personae e “à brasileira”); Fátima Pirauá – Coordenadora da Coordenadoria Estadual da Infância e Juventude e Juíza de direito da 28ª Vara Infância e Juventude
           2. A quem atende o instituto da adoção? Expectativas e realidade Jussara Pacheco – Coordenadora da Equipe Técnica da 28ª Vara Infância e Juventude
           3. Adoções Necessárias: aproximando postulantes/pretendentes à adoção de crianças e adolescentes em situação de acolhimento institucional (Busca Ativa e Projeto Padrinho): Fátima Malta – Psicóloga da 28ª Vara Infância e Juventude
          4. Famílias reconfiguradas no contexto da adoção – a construção dos vínculos. Romina Duque Porto – mãe de João Gustavo (8 anos) e Ticiana Leal Leite Buarque – mãe de João Lucas (7 anos) e Davi (2 meses)
Após a live teremos representantes do GAAAL falando como funciona o grupo de apoio à adoção;
Após a live teremos a Dra. Jheise Gama – Promotora de Justiça da 28ª Vara Cível da Capital – Infância e Juventude esclarecendo dúvidas acerca do processo de adoção.