2 de março de 2024Informação, independência e credibilidade
Justiça

Alexandre Garcia culpa PT por enchente no RS e fake news o torna alvo da AGU

“É inaceitável que, nesse momento de profunda dor, tenhamos que lidar com informações falsas”, afirmou o Advogado Geral da União

Alexandre Garcia, através de seu canal na revista Oeste, divulgou uma mentira absurda neste final de semana: a de que o PT foi culpado pelas enchentes e mortes ocorridas após um ciclone no Rio Grande do Sul.

“A chuva foi a causa original. Mas no governo petista foram construídas, ao contrário do que recomendavam as medições ambientais, três represas pequenas que aparentemente abriram as comportas ao mesmo tempo”.

“É preciso investigar porque não foi só a chuva”.

“Isso causou uma enxurrada parecida com aquelas que acontecem aqui perto de Brasília, na Chapada dos Veadeiros, e que levam as pessoas e que matam pessoas porque a água vem de repente”.

Prontamente, Jorge Messias, o Advogado-Geral da União (AGU) no governo Lula (PT), acionou a Procuradoria Nacional de Defesa da Democracia contra o mentiroso.

“Determinei à Procuradoria Nacional de Defesa da Democracia a imediata instauração de procedimento contra a campanha de desinformação promovida pelo jornalista. É inaceitável que, nesse momento de profunda dor, tenhamos que lidar com informações falsas”

Alexandre Garcia

Garcia, que foi porta-voz do ditador Figueiredo, mostrou-se um ávido defensor do bolsonarismo. Espalhando mentiras durante a pandemia do Covid, o jornalista criticava a necessidade de vacinação e distanciamento social, apesar de trabalhar em home-office.

Leia mais: Morrone diz que Garcia está ‘gagá, tipo Regina Duarte’
Garcia apagou centenas de vídeos em que desinforma e mente sobre Covid-19

Mentindo fora de controle, foi demitido da CNN Brasil, Jovem Pan e hoje está na Oeste, um “centro de resistência” do Bolsonarismo, espalhando mentiras irresponsáveis e danosas como essa, sobre tragédia que até agora deixou 46 mortos. Claro, não seria a primeira vez, afinal ele fez isso durante a morte de centenas de milhares.