14 de maio de 2021Informação, independência e credibilidade
Brasil

Alexandre Garcia apagou centenas de vídeos em que desinforma e mente sobre Covid-19

Antes de portaria da Saúde contra cloroquina e depoimento de Mandetta na CPI, jornalista bolsonarista que faz pouco caso do vírus e defende tratamento precoce age para se esquivar das responsabilidades

Alexandre Garcia, jornalista e comentarista da CNN Brasil, além de proeminente propagador do bolsonarismo, está apagando e escondendo centenas de vídeos produzidos por ele em seu canal do YouTube, que tem mais de 1,8 milhão de seguidores.

No sábado (1) em que manifestantes apoiavam o presidente Jair Bolsonaro nas ruas e pediam golpe militar, Garcia escondeu 331 vídeos. Na véspera, ele já tinha ocultado 98. Neste dois dias, foram 429 vídeos que passaram a ser privados.

Seja por efeito do novo protocolo do Ministério da Saúde, que passou a contraindicar cloroquina, ivermectina e afins em casos de Covid-19, ou medo de ser convocado pela CPI da Pandemia, Garcia, que historicamente ganhou a pecha de “lambe-botas de milico”, tenta jogar pra debaixo do tapete sua parcela de culpa na situação.

Ao se esquivar e deletar todo esse material, ele age como se nunca tivesse dito nada para piorar a situação. Mas deveria saber melhor: assim como a história, a internet não esquece jamais:

Garcia, ex-jornalista da Globo e porta-voz do último presidente da ditadura militar do Brasil, o general João Batista Figueiredo, passou praticamente toda a pandemia defendendo tratamento precoce com a cloroquina e minimizou a Covid-19 diversas vezes. Para ele, “mais da metade morriam de qualquer de maneira”.

“Os americanos descobriram que só 6% dos mortos foram mortos exclusivamente pelo coronavírus. Os outros todos foram comorbidades, inclusive gente que já ia morrer. Essa é a realidade que a gente tem que considerar também. E fortalecer nossas defesas: vitamina D, zinco, eu me previno com a ivermectina, tem gente se prevenindo com a própria hidroxicloroquina. E a assim a gente vai tocando a vida. Viva a vida”. Alexandre Garcia.

Material deletado

O material, que não pode ser mais acessado, tem toda a cara de discurso bolsonarista: fortes críticas ao STF, ataques aos prefeitos e governadores que promovem lockdown, defesa de tratamento precoce contra Covid-19 e amplo negacionismo da pandemia. A pura nata.

Dos 5 vídeos que foram deletados, dois espalhavam teorias conspiratórias que colocavam em dúvida a efetividade das vacinas contra a Covid-19 e outros três defendiam o tratamento precoce com cloroquina e ivermectina.

“O PSOL agora pediu ao ministro Lewandowski para proibir o governo federal de falar em tratamento precoce. Chegou a citar lá, não pode azitromicina, ivermectina, Annita, hidroxicloroquina. Eu pergunto por que. Isso provoca algum prejuízo na pessoa que está tomando? Está comprovado que não. Cientificamente provado que não”. Alexandre Garcia, em vídeo arquivado.