27 de janeiro de 2022Informação, independência e credibilidade
Política

Bolsonaro confessa que “ripou” funcionários e nomeou ministros para ajudar amigos

Jair afirmou ainda que mudanças no Inmetro e indicações no TST foram para não atrapalhar empresários

Jair Bolsonaro disse nesta quarta-feira (15) que demitiu funcionários do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) depois que uma obra da Havan, de seu amigo Luciano Hang, foi interditada.

Com orgulho, ele disse ter “ripado” a autarquia federal para bens pessoais e, de forma ignorante, disse que nem mesmo sabia o que era o Iphan.

“Tomei conhecimento que uma pessoa conhecida, o Luciano Hang, estava fazendo mais uma obra e apareceu um pedaço de azulejo nas escavações. Chegou o Iphan e interditou a obra. Liguei para o ministro da pasta e [falei]: que trem é esse? Porque não sou inteligente como meus ministros. O que é Iphan? Explicaram para mim, tomei conhecimento, ripei todo mundo do Iphan. Botei outro cara lá”. Jair Bolsonaro.

Bolsonaro se referia a paralisação de uma obra da Havan na cidade de Rio Grande (RS). A interrupção dos trabalhos ocorreu em dezembro de 2019 após o órgão ter encontrado material de interesse arqueológico no local da construção.

Sem perceber que estava, mais uma vez, assumindo uma série de crimes, o presidente em seu discurso a empresários no evento Moderniza Brasil, promovido na Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), afirmou que fez “alterações em tribunais e autarquias para facilitar a vida de empresários”.

O presidente afirmou aos CEOs que indicou Morgana de Almeida Richa para a vaga do TST (Tribunal Superior do Trabalho) porque analisou os temas julgados por ela previamente e avaliou que ela não atrapalharia o empresariado.

“Conheci, depois de conversar por poucas horas, a candidata ao TST. E todos vocês têm interesse lá, né? Quando eu cheguei, estava perdendo por 1 voto o pessoal mais à direita para o mais à esquerda. Agora estamos ganhando por 3. Analisei a senhora Morgana pelos seus julgados no passado, não vai atrapalhar os senhores”. Jair Bolsonaro.

Bolsonaro voltou a dizer que demitiu funcionários do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) no início de sua gestão e disse que agora não tem problemas com a autarquia.

“Ripei todo mundo, foi para o saco todo mundo [plateia aplaude]. Coloquei lá um coronel do Exército. A imprensa: ‘Ah, mais um militar’. O cara é formado pelo IME, pô. Ninguém fala em Inmetro mais”. Jair Bolsonaro.