2 de março de 2024Informação, independência e credibilidade
Brasil

Com buraco como os da Braskem, Beija-Flor faz o desfile de R$ 8 milhões sobre Maceió

Com presença de Arthur Lira, escola de samba teve problema em carro alegórico e deve perder pontos na apuração final

Imagens: TV Glovo

A escola de samba Beija-Flor de Nilópolis foi a segunda a desfilar na noite deste domingo (11) na Sapucaí, no Rio de Janeiro. Com o enredo “Um delírio de Carnaval na Maceió de Rás Gonguila“, a apresentação contou belas fantasias e uma boa produção, bancada por R$ 8 milhões investidos pela Prefeitura de Maceió.

Entretanto, o carro da terceira alegoria da Beija-Flor, que representava uma água-viva bateu na virada da concentração para a Sapucaí, o que pode fazer com que perca alguns décimos na pontuação final, deixando a escola de fora na luta pelo título do Carnaval do Rio em 2024.

Com a avaria no carro, que tardou a sair da concentração, houve um buraco no setor 3, que também deve fazer com que o juiz retire mais pontos da agremiação – por mais que, ironicamente, este “buraco” remeta aos provocados pelas décadas de mineração e extração de sal-gema realizada pela Braskem na capital alagoana.

Desfile

O enredo conta a história do imperador do Carnaval Rás Gonguila, nascido em Maceió em 1905. Gongila era filho de escravizados e acreditava ser descendente da realeza etíope. Ele fundou um bloco de carnaval na capital de Alagoas.

Na Sapucaí, domínio do azul e branco, com belas alegorias e fantasias assinadas por João Vitor Araújo. E, como era esperado, o tema da escola foi puxado por Neguinho da Beija-Flor.

Na comissão de frente, Jorge Teixeira e Saulo Finelon transformaram Rás Gonguila, protagonista do enredo, de engraxate a príncipe etíope. O casal de mestre-sala e porta-bandeira, Claudinho e Selminha Sorriso, não cometeram equívocos e foram a grande atração do desfile.

Também se destacara cineasta Cacá Diegues e o jornalista Márcio Canuto, maceioenses que estavam no quinto carro alegórico do desfile.

De uma forma ou de outra, também houve destaque para Arthur Lira, presidente da Câmara dos Deputados e que esteve presente no desfile. Líder do centrão, Lira é aliado do prefeito JHC, que através da prefeitura de Maceió, investiu R$ 8 milhões para que a Beija-Flor fizesse de Maceió tema no enredo deste ano.

 

7 Comments

  • Avatar Guedes

    O “Anônimo” não entendeu a questão da comparação entre o erro da Braskem e o erro da escola. E ainda culpa o jornalista por sua limitação educacional.

  • Avatar Antonio

    Gente vamos deixa o prefeito trabalhar ele sabe o que ta fazendo, tém muitos políticos ivejosos que so pensa nele.

  • Avatar Luiz Cavalcanye

    Essa junção JHC e Braskem é um acinte ao povo aagoano e uma vergonha. Enquanto isso parte da cidade foi destruida e seus habitantes jogados na rua. Perdemos parte do nosdo patrimonio historico e arquitetônico

  • Avatar Anônimo

    Não entendi porque falar da Braskem sendo que o erro foi da escola. O que tem a ver o UC com as calças? Isso não é jornalismo. Thiago Sampaio, vai pra pagina de fofoca que você ganha mais

  • Avatar BARTIRA SANTOS CAVALCANTI

    Enquanto a Prefeitura gasta rios de dinheiro, a educação em Maceió está um caos. Uma cidade tão bonita com péssimos administradores.

Comments are closed.