1 de dezembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Mundo

Jornalista francês faz graves denúncias de suborno, terrorismo, estupros e pedofilia no futebol

Romain Molina apresentou uma lista chocante de acusações, incluindo relações de clubes e dirigentes com Al Qaeda e tráfico humano

O mundo do futebol acordou nesta sexta-feira (19) com uma série de graves denúncias bancadas pelo jornalista investigativo Romain Molina, que tem publicações no The Guardian, New York Times.

Em sua mais recente apresentação ao vivo no Twitter Space, ele garantiu ter provas de que mais de 400 jogadores na Inglaterra e França foram estuprados, que casos de pedofilia são recorrentes e encobertados por celebridades e que há até mesmo ligações de clubes e dirigentes com AL Qaeda e tráfico humano.

Confira alguma das alegações de Molina, que ainda estão pra repercutir apropriadamente. E que inclui uma denúncia do Timor Leste pagando jogadores brasileiros para jogar pela seleção nacional:

  • Elye Wahi (atacante do Montpellier) não foi demitido do time de juniores do SM Caen por agredir fisicamente um supervisor na academia: na verdade ele trouxe alguns amigos do ensino médio nos banheiros para se despir e se masturbar na sua frente;
  • Mais de 400 jogadores atualmente jogando na Premier League e Campionship (1ª e 2ª divisões da Inglaterra), Ligue 1 e Ligue 2 (divisões francesas) foram estuprados várias vezes em sua juventude. Alguns deles contraíram lesões e/ou doenças anais. Este é um problema de duas décadas e a primeira história publica deve sair em dezembro;
  • Megan Rapinoe, eleita melhora jogadora do mundo, não se incomodava com o estupro de garotas haitianas. Ela prefere ‘ganhar dinheiro’ a ‘defender essas meninas’;
  • Um time da Ligue 1 encobriu um escândalo de pedofilia em sua academia de juniores fazendo uma lavagem cerebral no jogador quando a polícia estava envolvida. Em seguida, mandaram o jovem em questão de volta ao seu país;
  • Uma das maiores academias da República Democrática do Congo é atualmente administrada por uma rede de pedofilia;
  • Um técnico estrangeiro na França foi ‘pego em flagrante’ após estuprar duas meninas de 13 anos no meio de um torneio. Seu empregador, uma grande mídia, o demitiu dando outros motivos em 2017. O detalhe é que uma celebridade francesa famosa e muito querida também participou do encobrimento dessa história;
  • Ferland Mendy bateu em uma mulher, jogou-a no chão e a chutou na cabeça antes de mostrar seus órgãos genitais. Ela foi levada ao pronto-socorro após sofrer traumatismo craniano. Ele também agrediu outra mulher. O clube do jogador encobriu a história para o vender no ano seguinte;
  • Alguns jogos internacionais na Ásia são fixos. Muitos jogadores deixaram de ingressar nas seleções por causa disso;
  • O Paris Saint-Germain vem admitindo esgotamento após esgotamento. Mais de 100 funcionários deixaram o clube apenas no ano passado. Leonardo é odiado por causa de seu comportamento/atitude. Leonardo é odiado no PSG. A contratação de Icardi não foi bem recebida pelo treinador na altura;
  • O ‘chefe da arbitragem da Colômbia’ é um pedófilo. Molina tem uma reclamação de um garoto de 12 anos, que ele mal consegue ler na íntegra porque é ‘angustiante’;
  • A maioria dos presidentes de federações africanas recebe prostitutas pagas ou tem os estudos de suas filhas cobertos em outros países;
  • No Arsenal, todos os jogadores inalam óxido nitroso, o gás do riso. Um jogador voltou para comemorar seu aniversário em Paris sob o tema “balões de óxido nitroso”;
  • Um estrangeiro na França organizava festas em que ele defecava na boca das mulheres e se filmava enquanto o fazia. Ele forçou uma garota, que mais tarde procurou fazer uma reclamação formal. Alguém ofereceu um vídeo a Molina, que ele se recusou a ver;
  • A indignação massiva da mídia em torno da Copa do Mundo do Catar é política e financiada por pessoas/organizações que desejam prejudicar o país;
  • O filho do presidente do Congo, Brazzaville, está envolvido na seleção nacional. Na República Centro-Africana, Kondogbia é amiga do presidente;
  • 80% dos jogadores fumam shisha. Em um determinado momento, os jogadores do PSG costumavam trazer seu shisha/narguilé com eles em jogos fora de casa. Blaise Matuidi fumava shisha regularmente;
  • As ligas na maioria dos países do Sudeste Asiático, do Leste Europeu e da América Latina são armadas. Irlanda, Malta e Gibraltar também têm indícios de armação;
  • Um estrangeiro na França estava envolvido em um ‘go-fast’ (contrabando de drogas e/ou outros produtos em outro país). O presidente de seu clube ‘salvou sua bunda’ encobrindo o caso;
  • A FIFA alega que pressiona pelo futebol feminino, mas faz muito pouco para proteger as meninas/mulheres de abusos. Isso estaria desenfreado em todos os lugares, em uma escala global;
  • O Marrocos pode até ‘cagar no chão’ que nada acontece, pois tem uma grande influência na CAF;
  • A Federação do Quênia tem 16 contas bancárias, incluindo algumas contas ‘ocultas’, enquanto a maioria das Federações tem uma ou duas;
  • O time Amiens (Ligue 2) é um circo. No caminho de volta do jogo fora de casa em Ajaccio, todos cheiravam a álcool. Os jogadores adoram bebidas, shisha e noites de embriaguez;
  • Depois que o Senegal se queixou de um jogador com idade avançada, em uma seleção africana de sub-17 que enfrentou, a seleção nacional declarou o jogador como ‘falecido’. Atualmente, ele continua sua carreira na seleção nacional Sub-21 do mesmo país;
  • Uma menor foi estuprada e forçada a fazer um aborto em um “centro internacional da FIFA”;
  • O Timor Leste eliminou a Mongólia pagando jogadores brasileiros para jogar pela seleção nacional;
  • Amigos do ex-presidente da federação argelino estão travando uma guerra contra a atual liderança.
  • A FA de Serra Leoa falsificou os testes COVID ao longo de toda a pandemia, mais notavelmente em sua qualificação contra o Benin. Suspeita-se que outras nações e/ou clubes também tenham documentos falsos, mas isso não foi confirmado;
  • Mario Lemina recebeu uma bela quantia em dinheiro para representar o Gabão. Outros jogadores africanos também estão em posições semelhantes;
  • Um jogador de Spezia desapareceu. O caso está relacionado com questões de tráfico de pessoas e uma academia fundada na Nigéria pelo presidente do clube. Molina não teve muito tempo para falar sobre isso em sua live;
  • O abuso sexual é disseminado na Federação de Futebol da Mongólia, incluindo jogadores do time feminino de sub-15. Um treinador até pediu para dormir com a avó de um jogador em troca de uma vaga de titular para o jogador.

Tem mais

Após a série de denúncias, Molina afirmou esta era sua penúltima apresentação no Twitter. A próxima e derradeira viria no inverno europeu, onde ele diz que vai “explodir” a Federação Francesa.

Segundo o jornalista, ele planeja “encerrar de forma bombástica” em março ou abril, com um um relatório sem precedentes que será publicado em uma fonte confiável, que ele ainda não disse qual seria. Ele antecipou alguns dos temas:

  • Al Qaeda usa futebol para recrutar terroristas;
  • Um clube italiano está envolvido com tráfico de pessoas;
  • Transfermarkt é subornado por clubes e agentes para aumentar o valor dos jogadores;
  • Deschamp, treinador da França, machucou um jogador de propósito.

Segundo as suas palavras, “o futebol nunca mais será o mesmo, haverá uma reportagem antes e depois ”.