30 de junho de 2022Informação, independência e credibilidade
Brasil

Kendrick Lamar, Lollapalooza e um robô pró-Bolsonaro no Twitter

Robôs do presidente, em ativa no Twitter, atacam a esquerda, enaltecem o atual governo, mas confundem Lolla com Lula

O rapper Kendrick Lamar fechou o Lollapalooza 2019 neste domingo (7), em São Paulo, com um grande show que cumpriu as expectativas do festival de música alternativo. Entretanto, um tweet do G1 sobre o show do rapper chamou a atenção, muito pelo uso da Hashtag #LollaBR

Uma tal de Celia, que possui uma conta bastante ativa no Twiiter, respondeu à publicação imaginando que a hashtag seria algo diferente. Mais precisamente, respondeu como se fosse #LulaBR:

“Ele está preso babaca!! Um ano VIVA LAVA JATO!!! CHEGA DE USAR O DINHEIRO DO POVO!!. Celia15115195

Esta é mais uma evidência dos robôs de Bolsonaro em ativa no Twitter. Nada muito avançado, apenas contas com discursos pre-programados, com mensagens criticando a esquerda e enaltecendo o atual presidente, que devem agir sempre que for mencionado palavras-chave, como Lava Jato, PT, Bolsonaro ou Lula. Neste caso, o robô apenas o confundiu com escrito LollaBR.

Claro, nem todos percebem que a avalanche de apoio nas redes sociais anula pesquisas que criticam pesquisas, como a da DataFolha, que mostra o baixo apoio histórico de Bolsonaro. Ele é o pior avaliado, na história, nos três primeiros meses de governo.

Nada que não tenha atrapalhado nas eleições. Um exército de robôs ajudou a formar a opinião dos menos desavisados. Alguns até mesmo bem informados.

Robôs

A Revista Veja pediu e a NetLab, da Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (ECO-UFRJ), fez um levantamento nas redes sociais e identificou cerca de 4,9 mil robôs que atuam compartilhando publicações e atuando em favor de Jair Bolsonaro (PSL) nas redes sociais.

Somente entre os dias 21 e 29 de março, cerca de 30.000 perfis foram responsáveis pela propagação de 18 hashtags bolsonaristas, segundo o levantamento.

Dos vinte perfis “campeões” em postagens pró-Bolsonaro no período analisado, a ferramenta Botometer, usada pelos pesquisadores, detectou seis falsos, mas outros nove apresentaram um comportamento típico de contas automatizadas: publicaram dezenas de tuítes sobre o mesmo assunto em poucas horas e em seguida ou silenciaram ou reduziram drasticamente o número de postagens.

Os pesquisadores também analisaram os 60.000 retuítes feitos pelos usuários analisados e perceberam indícios de robotização nessa rede de compartilhamentos. Muito deste de fora do país. Por isso que em determinados momentos, com nos debates presidenciais, o então candidato Jair Bolsonaro era um dos mais falados do mundo.

É tudo uma coisa de família. Enquanto chovia deníuncias contra Flávio Bolsonaro, por causa de Queiroz, laranjas e laços com o milicianos, o movimento #FlavioPresidente chegou aos Trending Topics do Twitter de países como Malásia, Ucrânia e Bielorrússia