18 de maio de 2022Informação, independência e credibilidade
Justiça

Ministério Público de Alagoas lança campanha de incentivo à vacinação infantil

A cada um milhão de doses de vacina contra a Covid-19 aplicadas em crianças, apenas uma delas desenvolveu miocardite

O Ministério Público do Estado de Alagoas lança, nesta segunda-feira (7), uma campanha de conscientização e incentivo à imunização de crianças contra a Covid-19. O objetivo é ajudar no processo de convencimento de pais e responsáveis sobre a importância da vacinação para a faixa etária entre 5 e 11 anos, de modo que esse público possa ficar mais protegido contra o novo coronavírus.

A campanha consiste em comerciais de TV e rádio e posts para as redes sociais do MPAL com conteúdo explicativo sobre os benefícios da vacina para as crianças.

“Como órgão fiscalizador, estamos acompanhando os efeitos da pandemia em Alagoas e sabemos que o público infantil tem sido bastante atingido. Por isso, é compromisso de todos nós cuidarmos dos nossos filhos, netos, irmãos, sobrinhos. A ciência tem mostrado que a gravidade da doença diminui nas pessoas que são imunizadas, então, não há justificativa para irmos no caminho contrário as recomendações daquelas autoridades que estudaram para essa finalidade”. Márcio Roberto Tenório de Albuquerque, procurador-geral de Justiça.

“Inclusive, estamos diante de uma nova variante, a ômicron, que os especialistas afirmam que é altamente transmissível, daí a necessidade de nos protegermos, de protegermos as crianças. Se assim o fizermos, estaremos tirando-as, é o que garantem os cientistas, das tristes estatísticas de casos mais severos e óbitos”, completou ele.

A fundamentação técnica

A infectologista Angélica Novaes também reforça a importância da vacinação. “A imunização infantil contra a Covid-19, na faixa etária entre 5 anos e 11 anos, é segura e eficaz porque já foi aprovada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), importante órgão regulador do Ministério da Saúde, que verificou as condições da qualidade, segurança e eficácia da vacina, após avaliar tecnicamente toda a documentação pertinente ligada a cada uma delas.

Vale ressaltar que foram realizados ensaios clínicos envolvendo crianças de 5 a 11 anos de idade exatamente para atestar a sua proteção.

Segundo ela, além da Anvisa, outras agências reguladoras internacionais igualmente aprovaram a vacinação infantil, como a EMA (European Medicines Agency), na Europa, e a FDA (Food and Drug Administration), nos Estados Unidos. Os EUA já aplicaram mais de 8 milhões de doses de vacinas em crianças, sem nenhum óbito relacionado à vacinação.

Além disso, dados do Center Disease Control (CDC), a agência de saúde americana, mostram que a cada um milhão de doses de vacina contra a Covid-19 aplicadas em crianças na faixa etária entre 5 e 11 anos, apenas uma delas desenvolveu miocardite e não houve nenhum óbito.

“Ainda é essencial ressaltar que a patologia Covid-19 tem um risco de desenvolvimento de miocardite na faixa etária pediátrica muito maior do que a vacinação. E, por fim, chamo atenção para o fato de que é falso afirmar que crianças não correm o risco de desenvolver formas graves em razão da infecção pelo novo coronavírus. Para se ter uma ideia, entre os meses de janeiro e novembro de 2021, 2.917 crianças de 5 a 11 anos necessitaram de internação hospitalar por causa da Covid-19, com 25% delas necessitando de internamento em UTIs e mais 4% chegando a óbito. Os dados são do Sistema de Vigilância Epidemiológica da Gripe (SIVEP-Gripe) do Ministério da Saúde e estão disponíveis para quem quiser verificar. Todos precisam entender que a vacinação infantil diminui internações, sequelas e mortalidade”. Angélica Novaes.