28 de junho de 2022Informação, independência e credibilidade
Brasil

Receita admite ter exposto dados de Gilmar Mendes

Empresários reunidos no movimento chamado Brasil 200 protocolaram no Senado um pedido de impeachment do ministro do STF

Em resposta à Procuradoria-Geral da República, a Receita Federal admitiu em documento que o Fisco expôs dados do ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal) , a uma empresa privada que tem dezenas de ações no Supremo, a Fibria.

Área técnica da Receita diz que o relatório fiscal de Gilmar foi juntado por engano a documentos relacionados ao desembargador Luiz Zveiter e ao irmão dele, Sergio Zveiter (DEM-RJ), que também foram expostos. Ambos entraram na mira do órgão após declararem rendimentos vinculados a escritório de advocacia da família.

Ao investigar o escritório dos Zveiter, a Receita solicitou dados à Fibria Celulose, que havia feito pagamentos à banca. A Fibria então pediu acesso a alguns documentos e, ao repassá-los, a Receita diz que, por engano, enviou também o relatório das contas de Gilmar Mendes.

Impeachment

Empresários reunidos no movimento chamado Brasil 200, que são ativos no Legislativo na defesa da reforma da Previdência, focam suas atenções para o Judiciário. Uma coordenadora do movimento

Em Santa Catarina, a coordenação do movimento protocolou na quarta-feira (10) no Senado um pedido de impeachment do ministro do STF Gilmar Mendes. Sabrina Avozani, autora do pedido de impeachment, escreve que Gilmar Mendes profere suas decisões com “parcialidade” e “atua em benefício de investigados e de partidos políticos”.

O movimento Brasil 200 é liderado por Flávio Rocha (Riachuelo) e tem nomes como Luciano Hang (Havan) e João Appolinário (Polishop). O ministro coleciona uma dezena de outros pedidos de afastamento.