19 de abril de 2021Informação, independência e credibilidade
Política

Renan Calheiros quer julgamento de Moro após Lula ser inocentado no STF

Senador alagoano considera a decisão de tornar o ex-presidente elegível um passo importante, mas fala em “não jogar para debaixo do tapete” a parcialidade do ex-juiz da Lava Jato

Foto: Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, anulou nesta segunda-feira (8) todos as condenações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pela Justiça Federal no Paraná relacionadas às investigações da Operação Lava Jato.

Na decisão, Fachin afirma que, como corolário da incompetência, ele declara a “nulidade” dos atos decisórios, inclusive do recebimento das denúncias contra Lula. Com a decisão, o ex-presidente Lula recupera os direitos políticos e volta a ser elegível.

Entretanto, o consenso é de que a decisão de Fachin, que também invalidou habeas corpus impetrados pela defesa que questionavam a conduta da Justiça, inclusive a suspeição de Moro, foi para salvar a Lava Jato.

Decisão essa que não deixou o senador alagoano Renan Filho (MDB) muito satisfeito. Embora tenha considerado “um passo importante” Lula se tornar elegível, ele ainda quer Sergio Moro sendo julgado:

“A decisão de tornar o Lula elegível é um passo importante. Mas a Justiça não pode deixar de julgar e jogar para debaixo do tapete a parcialidade do então juiz Sérgio Moro. As responsabilidades precisam ser apuradas”. Renan Filho em seu Twitter.

Outro alagoano, o presidente da Câmara, Arthur Lira, falou em ‘merecida’ absolvição de Lula no STF, mas não para Sergio Moro:

Cadeia

Em 3 de fevereiro, o senador Renan Calheiros afirmou que Sergio Moro e Deltan Dallagnol tem como destino “a cadeia”. A reação do alagoano aconteceu depois do ministro Ricardo Lewandowski levantar o sigilo de parte do material apreendido na Operação Spoofing, que prendeu suspeitos de invadir os celulares de Moro e de procuradores da Lava Jato.