20 de janeiro de 2021Informação, independência e credibilidade
Economia

Abrasel cobra governador e prefeitos para evitar demissões e fechamentos em AL

Associação Brasileira de Bares e Restaurantes em Alagoas diz ser responsável por gerar mais de 100 mil empregos diretos

Em carta aberta direcionada aos alagoanos, a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes em Alagoas cobrar novamente um suporte financeiro governo do estado e dos municípios para evitar demissões no setor e a manutenção dos estabelecimentos após pandemia.

“Nosso setor exerce importante função econômica e social, gerando mais de 100 mil empregos diretos. Infelizmente já ocorreram mais de 23% de demissões no setor e várias empresas anunciaram que não terão condições de retornar às atividades. Essa realidade é uma catástrofe para muitas famílias”. Trecho da carta.

Em texto assinado pelo presidente Thiago Falcão, a Abrasel/AL diz ser necessário a Regulamentação dos créditos da ST nas empresas optantes pelo simples, suspensão da cobrança de taxas de IPTU, permanecendo o desconto dos 30% e linhas de crédito subsidiadas principalmente para os pequenos negócios.

Confira na íntegra:

Maceió, 29 de abril de 2020.

Carta aberta à Sociedade Alagoana.

A Abrasel esclarece que:

As normas de higiene e segurança do alimento em vigência no Brasil são mais rigorosas do que na Europa e nos Estados Unidos e nossos colaboradores atendem fielmente às boas práticas de manipulação, garantindo a entrega de alimentos seguros à sociedade.

Aqui em Alagoas, medidas rigorosas adicionais de segurança já foram estabelecidas para prevenção ao contágio do COVID-19 no setor da gastronomia. 

A Anvisa, em sua Nota Técnica N°18/2020, textualiza que a cadeia de alimentos é considerada uma atividade essencial nesse momento e recomenda o fortalecimento destas boas práticas, mesmo indicando não haver evidências de contaminação pelo novo coronavírus por meio dos alimentos.

 A recomendação da OMS em relação à distância entre mesas e cadeiras nos estabelecimentos de alimentação garante um distanciamento seguro entre os clientes que ficam na maior parte do seu tempo sentados. Portanto, este distanciamento é efetivo na prevenção do contágio. 

A Abrasel defende que o setor de bares e restaurantes oferece risco de contágio igual ou menor do que outros segmentos da economia que retornaram às suas atividades. 

Além disso, o setor da gastronomia é uma atividade essencial para muitos trabalhadores que retornaram às atividades profissionais.

Nosso setor exerce importante função econômica e social, gerando mais de 100 mil empregos diretos.

Infelizmente já ocorreram mais de 23% de demissões no setor e várias empresas anunciaram que não terão condições de retornar às atividades. Essa realidade é uma catástrofe para muitas famílias.

A Abrasel cobra do Governo do Estado e dos municípios medidas de suporte econômico para estancar o número de demissões e fechamento de empresas como Regulamentação dos créditos da ST nas empresas optantes pelo simples, suspensão da cobrança de taxas de IPTU permanecendo o desconto dos 30% e linhas de crédito subsidiadas principalmente para os pequenos negócios. 

Destacamos ainda que com mais de 30 dias de paralisação das atividades, não basta liberar o retorno do setor sem que estas medidas de apoio econômico sejam implementadas.

Por fim, a entidade lamenta que, para muitos empresários e trabalhadores do setor, tais medidas, se anunciadas, chegarão tarde demais. 

Nosso objetivo é a preservação da saúde, empregos e empresas. 

Thiago Falcão

Presidente da Abrasel/AL.