27 de junho de 2022Informação, independência e credibilidade
Cotidiano

Acessibilidade em Alagoas será fiscalizada pelo Crea

Conselho treina fiscais para iniciarem visitas às obras públicas e privadas no mês de abril; Lei Federal de Acessibilidade será cobrada pela instituição

A inclusão de deficientes físicos e pessoas com a mobilidade reduzida na sociedade é uma preocupação do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Alagoas (Crea-AL), que está realizando nesta semana, entre os dias 25 e 27 de março, treinamento sobre “acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamento urbano”.

O objetivo da capacitação é intensificar a fiscalização nesta área, que deve ocorrer no Estado já em abril.

O presidente do Crea, Fernando Dacal, chamou a atenção para a necessidade do cumprimento da NBR 9050, versão 2015, uma norma reguladora criada pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) que define aspectos que devem ser observados nas construções urbanas.

“Entendemos a importância de fazer cumprir a lei da acessibilidade. Temos um convênio com o Conselho Nacional do Ministério Público que trata sobre a observância do cumprimento da lei 13.146/15, prevista na legislação brasileira”. Fernando Dacal, presidente do Crea-AL.

Ele acrescentou ainda que após treinamento o Conselho vai realizar, nos primeiros dias de abril, fiscalização em Maceió. O instrutor responsável pela capacitação é Edison Passafaro, integrante da ABNT.

“Nossa missão neste treinamento é trazer uma reflexão e ferramentas para que os fiscais deste Conselho consigam se sensibilizar e fazer valer o cumprimento da lei de acessibilidade”. Edison Passafaro, integrante da ABNT.

Segundo Passafaro, os profissionais da engenharia e arquitetura estão sempre envolvidos no processo de desenvolvimento das cidades, seja nas fases do projeto, construção e documentação por parte do órgão público. Assim, para quem trabalha fiscalizando construções – no caso do Crea o exercício profissional – acaba carregando uma grande responsabilidade em ajudar a inserir uma nova cultura na sociedade.

“Nossa intenção é melhorar os setores urbanos. Para que os cadeirantes, gestantes, idosos e qualquer pessoa possam transitar na cidade a pé, sem nenhum risco e com autonomia, independência e segurança”. Edison Passafaro.