28 de maio de 2022Informação, independência e credibilidade
Alagoas

Ambulatório pós-Covid do Hospital Metropolitano realiza mais de 500 atendimentos em um ano

Serviço foi criado com o intuito de oferecer avaliação, tratamento e acompanhamento dos pacientes com sequelas decorrentes da doença

Além de atendimento com hematologista, pacientes são assistidos por infectologista e neurologista

Em funcionamento desde o dia 6 de abril do ano passado, o Ambulatório Pós-Covid-19, localizado no Hospital Metropolitano de Alagoas (HMA), em Maceió, já realizou 530 atendimentos.

O serviço foi criado com o intuito de oferecer avaliação, tratamento e acompanhamento dos pacientes com sequelas decorrentes da doença provocada pelo novo coronavírus, a exemplo da trombose.

O médico hematologista do Ambulatório Pós-Covid do HMA, Manoel Correia de Araújo Sobrinho, explica que a trombose é a formação de um trombo, também chamado de coágulo, que ocorre dentro de um vaso sanguíneo.

Ele se torna preocupante porque pode migrar para vários locais, como o pulmão, provocando embolia pulmonar, ou até para o cérebro, provocando um Acidente Vascular Encefálico (AVE).

A novidade é que, com a grande demanda do Estado e o êxito do Ambulatório Pós-Covid, são atendidos também pacientes com queixas hematológicas, independentemente de terem contraído a Covid-19 ou não.

Ou seja, o HMA abarca parte da demanda alagoana de hematologia no ambulatório, onde é ofertada a triagem, a consulta e os exames laboratoriais e de imagem, quando necessários.

“Hoje, depois de um ano do funcionamento deste ambulatório, nós damos continuidade ao tratamento, tanto para os pacientes pós-Covid, como para os pacientes que fazem trombose, ou outras patologias hematológicas em investigação, que não têm relação com a Covid-19. Assim, a comunidade de todo o Estado ficou assistida por este hospital, para fazermos o monitoramento do tratamento com medicação anticoagulante”.

O HMA conta com uma estrutura com cinco consultórios e uma recepção para os ambulatórios Pós-Covid, Programa Ame-se, de reconstituição mamária; Pós-AVC, como parte do Programa AVC Dá Sinais; e, o mais recente, programa para pacientes com doenças reumatológicas. Para os pacientes com sequelas Pós-Covid, o ambulatório oferece hemotologista, infectologista e neurologista.

Acesso

O paciente que receber alta de internação no próprio HMA e precisar do Ambulatório Pós-Covid, tem a consulta marcada pela regulação do próprio hospital.

Já os pacientes externos, podem marcar consulta pela Central de Marcação de Consultas do município de Maceió, desde que tenham o encaminhamento médico.

A enfermeira Raiane Jordan, supervisora do Ambulatório do HMA ressalta que os pacientes só precisam da mediação da Central de Marcação para a primeira consulta no Ambulatório Pós-Covid.

“Depois que o paciente marca a primeira consulta e entra no fluxo, o retorno para o médico, bem como, as consultas subsequentes, têm o agendamento feito pelo próprio ambulatório. Então, uma vez dentro do serviço, o paciente não precisa retornar à rede municipal para as próximas marcações, independente da especialidade médica. Isso melhora o tempo de tratamento e de diagnóstico dos pacientes”.

Ela afirmou, ainda, que alguns tratamentos exigem mais de uma consulta por semana e que, dependendo da sequela provocada pelo novo coronavírus, o paciente pode precisar do acompanhamento por tempo indeterminado. Por isso, é importante a manutenção do ambulatório, mesmo com a diminuição no número de casos e de internações por Covid-19 no Estado.