29 de junho de 2022Informação, independência e credibilidade
Política

Collor foi o único da bancada de Alagoas no Senado a votar pela privatização da Eletrobras

Collor, um dos maiores devedores da União no País, virou amigo de infância de Bolsonaro

Collor vota pela privatização da Eletrobras para agradar Bolsonado

Na sua trajetória de mais novo amigo de infância de Jair Bolsonaro, o senador Fernando Collor de Mello foi o único da bancada alagoana no Senado a votar favorável a privatização da Eletrobras nesta quinta-feira, 17.

Os senadores aprovaram os encaminhamentos de  privatização da estatal com 44 votos favoráveis e 35 contrários. A Eletrobras foi fundada em 1962, destinada ao suprimento de energia elétrica.  Para os senadores que votaram contra a privatização, a iniciativa vai penalizar sobretudo os consumidores em cada município brasileiro com o aumento das tarifas e a precariedade dos serviços.

Já os apoiadores do governo dizem que vão melhorar os serviços, os salários dos trabalhadores e os preços das contas de energia serão mais baixos.

Collor – No caso  do senador alagoano o que importa mesmo é dizer que apoia o governo. Collor anda atrelado as comitivas de Bolsonaro pelo País fazendo a defesa do governo, muito embora já tenha sido ferrenho adversário.

O senador resolveu mudar depois que a imprensa nacional noticiou que Collor é  parlamentar brasileiro que mais deve à Receita Federal. No total, deputados e senadores devem à União R$ 876,6 milhões, incluindo as empresas às quais estão ligados. A dívida atribuída a Collor ultrapassa R$ 143 milhões. Além disso, as empresas do senador devem mais de R$ 300 milhões à Receita Federal, INSS, FGTS e de indenizações não pagas aos trabalhadores demitidos. As empresas de Collor decretaram falência judicialmente.