24 de maio de 2022Informação, independência e credibilidade
Brasil

Com desdém do Governo, desmatamento na Amazônia cresce de forma desenfreada

Desmate cresceu 66% no mês de julho deste ano em relação ao mesmo mês em 2018. Os dados também mostram um aumento de 15% entre agosto de 2018 e julho de 2019

O instituto de pesquisa Imazon publicou hoje um relatório no qual revela que o desmatamento da Amazônia Legal cresceu 66% no mês de julho deste ano em relação ao mesmo mês em 2018. Os dados também mostram um aumento de 15% entre agosto de 2018 e julho de 2019 no desmatamento em comparação com o mesmo período do ano anterior.

Segundo a publicação, foram desmatados 5.054 km² da Amazônia Legal no período de um ano. Só em julho de 2019, o desmatamento somou 1.287 km², 66% a mais em comparação com os 777 km² de julho de 2018. Os casos ocorreram no Pará (36%), Amazonas (20%), Rondônia (15%), Acre (15%), Mato Grosso (12%) e Roraima (2%).

Cerca de 55% dos desmatamentos ocorreram em áreas privadas ou sob estágio de posse, segundo o relatório. O desmate em assentamentos correspondeu a 20%, em Unidades de Conservação foi de 19% e em Terras Indígenas de 6%.

Devolução de fundos

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (15) que a Noruega deveria usar a verba repassada ao Fundo Amazônia para reflorestar a Alemanha, quando foi questionado sobre o fato de o jornal “Dagens Næringsliv (DN)” ter noticiado que a Noruega decidiu bloquear o repasse de R$ 132,6 milhões para o fundo.”

“A Noruega não é aquela que mata baleia lá em cima, no Polo Norte, não? Que explora petróleo também lá? Não tem nada a dar exemplo para nós. Pega a grana e ajude a Angela Merkel a reflorestar a Alemanha”. Jair Bolsonaro, presidente.

No último dia 10, o Ministério do Meio Ambiente da Alemanha decidiu suspender o financiamento de projetos para a proteção da floresta e da biodiversidade em razão do forte aumento do desmatamento na Amazônia. O valor do repasse era de R$ 155 milhões. Prontamente, a Alemanha respondeu à mais um factóide desinformado e de achismo do presidente.

Imazon vs Inpe

O Imazon é uma Organização da Sociedade de Interesse Público (Oscip), qualificada pelo Ministério da Justiça, fundada em 1990 e com sede em Belém, no Pará. A organização não é ligada ao Instituto Nacional de Pesquisas Especiais (Inpe), cuja divulgação de dados sobre desmatamento gerou uma crise com o governo que culminou na exoneração do diretor do órgão, Ricardo Galvão.

O instituto faz o monitoramento da Amazônia por meio de imagens de satélites que reporta mensalmente o ritmo de desmatamento e degradação da floresta. O Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD) detecta áreas de desmatamento a partir de 1 hectare.

O governo Jair Bolsonaro (PSL) vem questionando o estudo feito pelo Inpe e já alegou que os dados são “imprecisos” e que causam problemas à imagem do Brasil no exterior.