29 de maio de 2022Informação, independência e credibilidade
Brasil

Depois dos remédios, Planos de Saúde vão ter aumento recorde de 18%

Aumento vai vigorar de maio deste ano até abril de 2023

Planos de saúde: mais uma conta salgada para os usuários

Depois do aumento nos preços do remédios uma nova conta salgada chega para setores da calsse média brasileira. Trata-se dos planos de saúde que vão ter aumento de 18%, para vigorar entre maio de 2022 e abril de 2023.

A alta do preço dos medicamentos foi de 11%. O aumento nos planos de saúde, previsto para maio, será recorde, pois vai ultrapassar os 13,57% registrados em 2016, de acordo com dados da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), responsável por regulamentar o setor.

Em 2021, os planos individuais tiveram um desconto de 8,2%, devido à redução da demanda para uso dos serviços médicos oferecidos. Agora, de acordo com projeções de especialistas, os reajustes deste ano devem ficar entre 15% e 18,2%, o que superaria com folga o recorde de 2016.

Esse aumento também englobaria os planos coletivos, que agregam os convênios empresariais. Apesar de a pandemia da covid-19 ainda não estar totalmente superada, a Federação Nacional de Saúde Suplementar (FenaSaúde), justificou a expectativa desse reajuste diante da mudança de cenário e do aumento dos custos operacionais.

“Diversos fatores influenciam o reajuste dos planos de saúde, como o aumento do preço de medicamentos e insumos médicos, o crescimento da utilização de recursos dos planos e a incorporação de novas tecnologias nas coberturas obrigatórias aos planos de saúde”, informou a FenaSaúde, em nota.