22 de maio de 2024Informação, independência e credibilidade
Política

Dias antes de julgamento, Collor é convidado de honra em cerimônia do TJ-AL

Condenado pelo STF à pena de oito anos de prisão por corrupção, ex-presidente sentou-se ao lado de Arthur Lira e aguarda recurso contra o fim do contrato de retransmissão da Globo em Alagoas

Na tarde de segunda-feira (29), a nata da política alagoana participou da posse do novo desembargador do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJAL), Márcio Roberto Albuquerque, eleito pelo Quinto Constitucional na vaga destinada ao Ministério Público (MPAL).

Na mesa de honra, estavam representantes de todos os poderes, a se destacar os desafetos Paulo Dantas (MDB), governador de Alagoas, JHC (PL), prefeito de Maceió, além do presidente da Câmara dos deputados, Athur Lira (PP).

O curioso foi a presença do ex-presidente da República, ex-senador e condenado a 8 anos de prisão por corrupção pelo STF (mas ainda não encarcerado), Fernando Collor de Mello.

Leia mais: Collor vai cumprir 8 anos de prisão em regime fechado

Senador por Alagoas até não conseguir ser reeleito na eleição anterior, Collor foi também presidente do Brasil (ainda que retirado por impeachment), logo de forma protocolar, deveria ter sido sim ser convidado à mesa de honra, composta por mais de 30 pessoas.

Entretanto, em fevereiro o mesmo Collor esteve nas cerimônias de posse do ministro da Justiça, Ricardo Lewandowski e depois, na de Flávio Dino no STF. Em nenhuma delas sentou-se à mesa ou nem mesmo fora citado oficialmente.

Por isso, não deixa de ser curioso, já que nesta mesma semana, Collor será julgado nesta quinta-feira (2) pelo próprio tribunal que o colocou numa mesa de honra.

O julgamento em questão é um recurso da Rede Globo, que cansada dos desvios de verba e problemas com falta de pagamentos dos funcionários, quis encerrar o contrato de retransmissão em Alagoas.

Leia mais: Globo alega corrupção de Collor e classifica TV Gazeta como ‘covarde’
É a falência da Gazeta? Grupo de Collor entra com ação de Recuperação Judicial

A TV Gazeta, de propriedade do ex-presidente, é responsável pela retransmissão da Globo Local e seu grupo, Arnon de Mello, sofre uma grave crise financeira.

O julgamento estava marcado para 10 de abril, até ser adiado e remarcado após o desembargador Alcides Gusmão se declarar suspeito para julgar o caso. Ele já foi substituído por Ivan Vasconcelos Brito Junior.

A câmara é formada por três desembargadores, e um deles, Paulo Zacarias, já votou a favor da Globo para que a emissora não seja obrigada a manter relações comerciais com a Gazeta.

Em tempo: Collor foi elogiado pelo novo desembargador em seu discurso de posse: “Presidente de sempre, Fernando de Collor de Mello. Minhas admirações e respeito. Vossa excelência foi quem assinou nossa nomeação para promotor. Lá se vão 37 anos decorridos, e tenha certeza de que nunca deixei de honrar aquela assinatura”, disse Márcio Roberto.