20 de outubro de 2021Informação, independência e credibilidade
Maceió

Educação em Maceió: Qualidade na merenda e todas as unidades com internet rápida

Agricultura familiar garante melhor qualidade na alimentação; Programa Inovação Educação Conectada terá investimentos próprios da Prefeitura de Maceió e do Governo Federal

Aluno da rede utiliza laboratório com internet do Programa Inovação Educação Conectada

O Programa Inovação Educação Conectada, instituído em 2017 pelo Governo Federal, com o objetivo de levar internet de alta velocidade e de qualidade para as escolas públicas está em sua segunda etapa.

Desenvolvido em parceria com a Secretaria de Educação Municipal de Maceió (Semed), há mais de um ano, a iniciativa busca apoiar a universalização do acesso à internet de alta velocidade e fomentar o uso pedagógico de tecnologias digitais na educação básica.

Implantando em 30 de janeiro de 2019, a primeira etapa do programa contemplou o ensino fundamental, inicialmente, em 94 escolas. Nesta primeira fase foi feito todo o trabalho de infraestrutura que viabilizou o acesso à internet por wi-fi.

Aluno da rede faz uso do programa Educação Conectada. Fonte: Governo Federal

O programa, que está sendo expandido para toda a Rede Municipal recebe investimentos próprios da Prefeitura de Maceió no valor de R$ 194 mil e do Governo Federal no valor R$ 220 mil.

Com a implantação da segunda etapa, o programa contemplará 36 Centros Municipais de Educação Infantil (Cmeis), cobrindo, dessa forma, as 140 unidades escolares municipais.

Até o final de 2020, a Coordenadoria Geral de Tecnologia da Informação (CGTI) da Semed deve concluir parte da implantação da segunda fase do programa, que abrange a infraestrutura dos equipamentos, instalando 20 laboratórios nas unidades escolares.

A merendeira Zilda Ferreira é servidora há 16 anos e comenta que os alimentos da agricultura familiar melhoram o sabor e a qualidade da merenda

Merenda

A qualidade alimentar na Rede Municipal de Educação é uma das prioridades da gestão municipal. A pedagoga do setor de nutrição da Secretaria Municipal de Educação, Gedida Correia, explica que os alimentos advindos da agricultura familiar passam por um rigoroso controle de qualidade.

”Os produtos comprados via chamada pública que são adotados no cardápio escolar são devidamente selecionados. Cabe ao setor de nutrição elaborar esse cardápio, o que evita com que as escolas sirvam qualquer tipo de alimento e passem a ter mais segurança e garantia de qualidade”. Gedida Correia, pedagoga do setor de nutrição da Secretaria Municipal de Educação.

O incremento dos alimentos da agricultura familiar na Rede Municipal de Educação atende à determinação da Lei federal 11.947/2009. A legislação garante que 30% dos gêneros alimentícios contemplem cultivo de pequenos agricultores.

Alimentos oriundos da agricultura familiar têm alta aceitação na Rede Municipal

O Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), que busca contribuir com o processo de ensino aprendizagem, subsidia as escolas em dois eixos. O primeiro diz respeito à oferta da alimentação escolar saudável e o segundo refere-se à promoção da educação alimentar e nutricional.