20 de outubro de 2021Informação, independência e credibilidade
Economia

Governo gastou R$ 48 milhões em auditoria do BNDES e nada encontrou na ‘caixa-preta’

Gustavo Montezano assumiu a presidência do banco prometendo cumprir uma promessa de campanha do presidente Jair Bolsonaro

Para investigar operações entre o banco e as empresas JBS, Bertin e Eldorado, entre os anos de 2005 a 2018, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) gastou R$ 48 milhões em uma auditoria. E segundo o relatório, não foram encontrados indícios de corrupção em oito das operações investigadas.

O banco divulgou em 10 de dezembro que o relatório indicou que não foram encontradas evidências diretas de corrupção, influência indevida sobre a instituição ou pressão por tratamento diferenciado na negociação, aprovação e/ou execução das oito operações investigadas. Quando assumiu o banco, em julho do ano passado, Gustavo Montezano prometeu “explicar a caixa-preta do BNDES.

Montezano, condenado por arrombar portões, durante uma festa com Eduardo Bolsonaro, entrou no lugar de Joaquim Levy, que pediu demissão no mês anterior, após não conseguir abrir a tal caixa-preta da instituição, promessa de campanha do presidente Jair Bolsonaro. Pois bem: a caixa-preta foi aberta e nada fora encontrado.

Gustavo Montezano abriu a caixa-preta do BNDES, mas nada encontrou