8 de dezembro de 2023Informação, independência e credibilidade
Brasil

Haddad, denunciado de novo pelo MP, será o candidato do PT

Ministério Público do Estado de São Paulo denunciou o ex-prefeito da capital paulista por corrupção passiva, associação criminosa, e lavagem de dinheiro

Integrantes da cúpula do PT afirmam que, apesar de não apreciarem a decisão de Lula se retirar da campanha, a conversa do ex-presidente com Fernando Haddad na carceragem da PF, na segunda (3), foi conclusiva. Após mais um recurso no STF para que a ONU avalie o mérito do caso do petista, mostrando à militância que o partido não desistiu, Haddad será mesmo alçado como candidato do PT, já no dia 11.

Petistas já começaram a convocação para o ato em Curitiba. Governadores e quadros do PT e do PC do B, partido de Manuela d’Ávila, que vai assumir a vice de Haddad, foram avisados. O comitê eleitoral do PT e do PC do B planeja fazer a primeira agenda conjunta da nova chapa no Rio Grande do Sul, estado de Manuela.

Para tentar manter os votos de Lula em Haddad, o ex-presidente deve escrever uma carta, que tem sido chamada por petistas de seu testamento político, tanto para o ato em Curitiba como para a propaganda eleitoral.

O ministro Luís Felipe Salomão, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), já determinou que o PT suspenda a veiculação de propaganda no horário eleitoral que apresenta o ex-presidente como candidato à Presidência da República. Na decisão liminar (provisória) ele estipulou multa de R$ 500 mil em caso de descumprimento.

Haddad denunciado

O Ministério Público do Estado de São Paulo denunciou Fernando Haddad, o ex-prefeito da capital paulista, por corrupção passiva, associação criminosa, e lavagem de dinheiro. A denúncia aponta que Haddad teria solicitado e recebido indevidamente da UTC Empreiteira o valor de R$ 2,6 milhões em 2013.

Essa é a segunda ação do MP de São Paulo contra Fernando Haddad nos últimos oito dias. Na anterior, o Ministério Público propôs uma ação civil de improbidade administrativa contra o ex-prefeito de São Paulo.

Em nota, a assessoria de Haddad rebateu o MP afirmando que a denúncia se baseia em uma narrativa sem provas do empresário Ricardo Pessoa. “Surpreende que, no período eleitoral, uma narrativa do empresário Ricardo Pessoa, da UTC, sem qualquer prova, fundamente três ações propostas pelo Ministério Público de São Paulo, contra o ex-prefeito e candidato a vice-presidente da República, Fernando Haddad”.