25 de janeiro de 2021Informação, independência e credibilidade
Brasil

Mandetta afirma que história julgará quem errou e que surto no Brasil apenas começou

Ex-ministro da Saúde acredita que mortes diárias passarão de mil na próxima semana e critica Bolsonaro: até Trump voltou atrás

Em entrevista à CNN americana, o ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, projeta mais de mil mortes diárias por coronavírus no Brasil já na próxima semana.

E afirmando que “os números falam por si só”, ele criticou o presidente Jair Bolsonaro, que o retirou do cargo por não aceitar as recomendações da OMS e ter um zelo maior pela Economia do que pela Saúde.

“A história vai dizer quem estava certo e quem estava errado”. Luiz Henrique Mandetta, ex-ministro da Saúde.

Em inglês, Mandetta conversou com a jornalista Christiane Amanpour sobre o aumento nos casos de Covid-19 e mostrou o incômodo que tinha com o presidente afirmando que tudo era apenas uma gripe. E que eles não pensavam da mesma maneira.

“As razões que fizeram chegar a a exoneração do Ministério da Saúde foram opiniões totalmente diferentes sobre a situação. Era óbvio que eu não poderia lidar com ele dizendo para as pessoas voltarem a trabalhar, caminhar nas ruas e não manter distância, dizendo que era apenas uma gripe. Estávamos claramente em lados opostos”. Mandetta.

Só o começo.

O ex-ministro avaliou ainda que a pandemia no Brasil começou a se agravar na região Norte, em Manaus, e já se espalha para regiões mais populosas e grandes centros, como São Paulo e Rio de Janeiro. E que a principal preocupação seria com as favelas nas duas capitais:

“Estamos apenas no começo da parte mais difícil que vamos atravessar. De zero a 10, eu estaria preocupado em 10”.

Trump

Ele também falou da relação do presidente do Brasil com o dos Estados Unidos, Donald Trump. E diz acreditar que a influência só funciona parcialmente, já que Trump voltou atrás em algumas ações sobre o coronavírus.

“Infelizmente, ele é um dos poucos líderes mundiais que continua com esse posicionamento que a economia deve voltar a qualquer custo e que a perda de empregos será pior e que as pessoas deveriam se preocupar em como manter a economia ativa. Então é bem difícil dizer às pessoas que devemos que deixar a doença seguir seu curso natural e não nos expormos. O Trump ao menos voltou atrás”. Mandetta.