9 de dezembro de 2021Informação, independência e credibilidade
Brasil

Morre de covid o enfermeiro que se passava por médico e viralizou mentiras na pandemia

“Dr. Ferrari” recomendava tratamento precoce para a doença que negava existir e ajudou a propagar a mentira de que hospitais mentiam para ganhar dinheiro por mortes

Anthony Ferrari Penza, enfermeiro que aos gritos em vídeos nas redes sociais se passava por médico e negava a pandemia do coronavírus, morreu de covid aos 45 anos.

Ferrari, infelizmente, ficou famoso e ganhou seguidores  graças aos seus vídeos em que, travestido de médico (com jaleco e estetoscópio no pescoço em todos os seus os vídeos) e foi um dos responsáveis por propagar a mentira de que hospitais ganhavam R$ 19 mil reais por cada óbito de covid-19. E que, por isso, inflavam os números.

Como a doença é séria e ele estava brincando, no dia 8 deste mês, ele precisou ser transferido de uma UPA para uma Unidade de Pacientes Graves (UPG) no Hospital Otime Cardoso dos Santos, no Jardim Esperança.

Ferrari foi transferido às pressas para a Unidade Pré-Hospitalar de Saracuruna, no 2º distrito de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense na semana passada. Em boletim médico divulgado na quinta-feira (15), o estado de saúde do enfermeiro era considerado muito delicado. O ex-candidato a vereador não resistiu e foi a óbito.

Mentiras

No início dos vídeos polêmicos publicados por Anthony nas redes sociais, ele afirmava ser médico atuante em Cabo Frio. Diante das várias denúncias e processos, Ferrari mudou o discurso, assumindo o título de enfermeiro.

Ele já era investigado pelo Conselho Regional de Enfermagem do Rio de Janeiro após publicar diversos vídeos nas redes sociais afirmando que estados e municípios recebem dinheiro do Governo Federal por paciente morto com coronavírus.

Segundo ele, os valores chegam até R$ 19 mil. Ferrari disse ainda que cerca de 60% das mortes da Covid-19 são de pessoas que “morreram por estar assustadas”, “morreram porque muitos falaram para ficar em casa”.

Anthony afirmou que um médico voluntário no ensaio clínico da vacina de Oxford foi “vítima da vacina” e teria morrido. E emendeou garantindo que a vacina poderia causar Alzheimer, doença degenerativa que afeta a memória e fibromialgia.