20 de abril de 2021Informação, independência e credibilidade
Política

Pazuello diz que busca por vacina é ansiedade e Maia diz que ministro é um desastre

Lentidão é resultante de um contexto de disputa política entre o presidente, que já declarou publicamente não ser um entusiasta da imunização, e o governador de São Paulo, João Doria

Durante a apresentação do plano nacional de vacinação nesta quarta (16), o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, questionou o que chama de “angústia” e “ansiedade” para que o Executivo deixe de lado as disputas políticas e apresente resoluções quanto ao processo de imunização.

Enquanto países como Estados Unidos e Reino Unido já estão em fase de vacinação, o governo brasileiro avalia questões como a marca da vacina a ser investida e se ela será ou não obrigatória para a população. Detalhes logísticos também ainda não foram esclarecidos.

O ministro adotou tom ufanista e buscou repetidamente passar uma mensagem de confiança na qualidade do sistema público de saúde. Na visão dele, existiria “desinformação” a respeito da “capacidade do Brasil para conduzir essa missão”.

“Somos os maiores fabricantes de vacinas da América Latina. Somos referência e estamos trabalhando. Temos 300 milhões de doses negociadas, algumas com recursos para isso. Temos provisão de MPa ser assinada de R$ 20 bilhões. Temos capacidade de transcender e superar desafios. Não vejo, e coloco aqui um pouco da minha história, não vejo nada errado. Se tivesse visto teria corrigido. Estamos no caminho certo e juntos, não podemos abrir mão de tratar como país”. Eduardo Pazuello, ministro da Saúde.

A lentidão é resultante de um contexto de disputa política entre o presidente, que já declarou publicamente não ser um entusiasta da imunização contra o coronavírus, e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB). O estado aposta nas pesquisas com a vacina de origem chinesa, a CoronaVac, que está sendo fabricada no Instituto Butantan.

Desastre

O ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, é um desastre para o país e para o governo, além de comprometer a imagem do Exército brasileiro com sua “incompetência”, afirmou nesta quarta-feira (16) o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Maia reuniu jornalistas para um café da manhã na residência oficial da Câmara. Na conversa, o deputado afirmou que Pazuello vai muito mal e se perdeu na gestão do Ministério.

“Eu acho o ministro da Saúde um desastre. Vai ser um desastre para o país, primeiro, e para o governo. No momento da pandemia, o ministério da Saúde do jeito que está, quem vai pagar a conta primeiro é a sociedade, que é mais importante do que o governo pagar a conta”. Rodrigo Maia.

Maia ironizou e afirmou que o ministro, que era elogiado por sua habilidade logística, “até agora não apresentou nada organizado, para a vacina, para nada”.