19 de outubro de 2021Informação, independência e credibilidade
Policia

Professor da Ufal foi torturado e morto por namorado que planejava roubar e vender carro

Veículo roubado já estava sendo negociado para venda e o suspeito, de 22 anos, preso

A polícia esclareceu o caso de assassinato do professor José Acioly da Silva Filho, ex-diretor do Museu Theo Bandão, foi morto por um jovem de 22 anos.

A causa da morte do professor foi estrangulamento por asfixia. Ele também apresentava hematomas, que comprovam ter sido espancado antes de morrer. José Acioly foi encontrado morto na casa onde morava no bairro Jaraguá, na quinta-feira (17).

O principal suspeito do crime seria seu namorado, que trabalha como garçom e reside no bairro Guaxuma. Ele foi preso a caminho de um shopping no bairro Benedito Bentes, na sexta-feira (17).

Eles tinham iniciado o relacionamento recentemente e, inclusive, Acioly pagou para o rapaz um tratamento odontológica – o que levou a polícia a encontrar o suspeito, por causa da ficha médica e seu endereço, disse o delegado Ronilson Medeiros, responsável pelas investigações

Após conseguir o endereço do suspeito, recebeu informações que o carro do professor, que foi roubado depois do assassinato, estava circulando na região de Guaxuma. Após ser solicitada sua prisão, a PRF informou que o carro estava se dirigindo para um shopping e =à paisana policiais esperaram até ele chegar e ser dada voz de prisão.

No momento da prisão, o suspeito estava com um adolescente de 17 anos, que foi apreendido, mas logo liberado. A polícia também descobriu que o carro roubado já estava sendo negociado para venda.