22 de janeiro de 2022Informação, independência e credibilidade
Política

Segundo Bolsonaro, protesto do dia 15 esfriaria se Congresso devolvesse R$ 15 bilhões

Câmara e Senado já renunciaram à outra parcela de R$ 15 bilhões, o que fez parte de um acordo celebrado com o próprio Planalto

Em discurso para 300 apoiadores nos EUA, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que bastava o Congresso devolver os R$ 30 bilhões do orçamento para não haver atos no dia 15. Exatamente: em algo próximo de chantagem, ele afirmou que não dependeria dele encerrar a manifestação popular do próximo domingo. E isso foi dito abertamente ao próprio presidente da Câmara, Rodrigo Maia:

“Ontem, anteontem, troquei umas mensagens com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, falando sobre a questão do dia 15 de março que, no meu entender, é algo voluntário por parte do povo, não é contra o Congresso, não é contra o Judiciário, é a favor do Brasil que, afinal de contas, devemos obedecer e seguir o norte apontado pela população. E o que a população quer, que está em discussão lá em Brasília: não quer que o Parlamento seja o dono do destino de R$ 15 bilhões do Orçamento”. Jair Bolsonaro, presidente.

Endossando e justificando a manifestação, ele foi além e disse que estaria nas mãos de Maia e Davi Alcolumbre desmobilizar os manifestantes. Basta o Congresso mão de uma parcela dos recursos destinada às emendas impositivas.

“É isso que está em jogo no momento. Acredito ainda que, até o dia 15, os presidentes da Câmara e do Senado anunciem algo no tocante a dizer que não aceitam isso, no tocante a ficar com eles os recursos. Acredito que eles possam botar até um ponto final na manifestação. Não um ponto final, porque ela vai haver de qualquer jeito, no meu entender, mas para mostrar que estamos sim afinados no interesse do povo brasileiro”.

Câmara e Senado já renunciaram à outra parcela de R$ 15 bilhões, o que fez parte de um acordo celebrado com o próprio Planalto.