26 de junho de 2022Informação, independência e credibilidade
Alagoas

Sessão especial na ALE debate uso medicinal do canabidiol

Lobão, propositor do evento, diz que o grande objetivo é permitir acesso mais barato deste medicamento para pacientes

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Marcelo Victor, e o deputado Lobão (MDB) convidaram a população para participar, na segunda-feira,13, às 11h, da sessão especial que debaterá sobre os estudos e as ações referentes à utilização terapêutica do canabidiol.

Lobão, propositor do evento, diz que o grande objetivo é permitir acesso mais barato deste medicamento para pacientes que fazem tratamento contra a doença de Alzheimer ou Parkinson.

“Foram feitos convites para várias autoridades, a exemplo do promotor José Malta Marques, que nos recebeu de forma bem atenciosa no dia de ontem. Também foram convidados pais que possuem filhos em tratamento com este remédio; o médico Ronaldo Correia, da cidade de São Paulo, que passou a receitar a cannabis medicinal; deputado estadual Goura, da Assembleia Legislativa do Paraná; entre outros”.

Canabidiol

O canabidiol, conhecido popularmente como CBD, é uma substância extraída da planta cannabis, que atua no sistema nervoso central e apresenta potencial terapêutico para o tratamento de doenças psiquiátricas ou neurodegenerativas, como esclerose múltipla, esquizofrenia, mal de Parkinson, epilepsia ou ansiedade.

No Brasil, a Anvisa criou uma categoria de medicamentos derivados da cannabis, que podem ser comercializados após aprovação da Agência. Estes remédios estão indicados principalmente nos casos em que outras formas de tratamento não estão demonstrando o efeito pretendido. A sua venda é feita com apresentação de receita médica de controle especial.

“A Anvisa autorizou apenas a importação desse medicamento. Assim, hoje, para quem tem condições, só se consegue pagando caro”, disse Lobão, lembrando que quem recebe um salário mínimo não tem acesso ao tratamento. “Criança autista de pais com baixa renda também não têm acesso”, lamentou o deputado.

Além da possibilidade de tratar pessoas mais simples, com um preço mais acessível, Lobão pretende discutir as possibilidades da criação de empregos com a fabricação deste medicamento em território alagoano.