5 de março de 2021Informação, independência e credibilidade

Tag: dólar

Se o agro é pop, a fome é top

Blog, Wagner Melo
Desabafo de um pequeno produtor rural do interior de Minas Gerais: “O retrato do agro pop é isso aí gente, não é sustentável ambientalmente, não é sustentável socialmente e não é sustentável nem economicamente”. Ruim para o pequeno e médio produtor rural e para o consumidor, que paga cada vez mais caro por itens alimentícios, o problema está no mercado, que só é rentável para quem concentra terra, dinheiro e poder político. É uma das faces mais cruéis do bolsonarismo, que ataca o bolso e a barriga dos brasileiros. “Como continuar na terra e não ser obrigado a entregar mais um pedacinho nas mãos de um daqueles 1% de latifundiários que concentram 45% das terras do país?”, questiona Paulo Aranã, que faz queijo no município mineiro de Itambacuri. Diante da alta do dólar, fornecedores
Real se firma como pior moeda do mundo em 2020

Real se firma como pior moeda do mundo em 2020

Economia
Com a questão fiscal aumentando a tensão entre os investidores aqui no Brasil, o dólar comercial fechou setembro com uma alta de 2,46% ante o real, cotado a R$ 5,6150 na compra e R$ 5,6160 na venda. Além da crise do coronavírus, que afeta boa parte das moedas emergentes, o real tem outros fatores que estão pesando em seu desempenho. E um dos principais deles é o risco fiscal, elevado ainda mais esta semana com a decepção do mercado com o programa Renda Cidadã. Na última semana, analistas já havia apontado esta preocupação diante das dificuldades que o governo já enfrentava para realizar os ajustes necessários na economia. O Bank of America, inclusive, disse estar mais cauteloso com o real e alertou para volatilidade no curto prazo. Pedalada fiscal Na segunda, o governo apre
Preço do arroz já atinge R$ 40 e deve continuar em alta

Preço do arroz já atinge R$ 40 e deve continuar em alta

Economia
O arroz disparou nos supermercados brasileiros, sobretudo nas últimas semanas. Um pacote de cinco quilos, normalmente vendido a cerca de R$ 15, chega a custar R$ 40. A alta do arroz já chega a 100% em 12 meses. E não há previsão de queda: produtores e especialistas dizem que os preços devem continuar subindo nos próximos meses. O principal motivo da alta de preços do arroz é o dólar. Embora tenha mostrado alguma redução nas últimas semanas, a média ainda é muito alta em relação ao ano passado. Isso faz com que muitos produtores prefiram exportar, ganhando em dólar, a vender arroz no mercado interno. As exportações de arroz beneficiado saltaram 260% entre março e julho deste ano, para 300 mil toneladas. Para piorar, também houve redução de 59% nas importações do produto no perí
Bancos temem que Bolsonaro “dê uma de Dilma” e gaste mais do que pode

Bancos temem que Bolsonaro “dê uma de Dilma” e gaste mais do que pode

Economia
Na avaliação de banqueiros, gestores de grandes fundos de investimento e economistas, existe o risco de o presidente Jair Bolsonaro pisar no acelerador dos gastos. Com isso, ele pode seguir os passos de Dilma Rousseff (PT). A ex-presidente foi alvo de impeachment por descumprir regras fiscais e, assim, cometer crime de responsabilidade. Alerta esse, inclusive, que foi dado pelo próprio Paulo Guedes, ministro da Economia de Bolsonaro. Banqueiros Diante disso, a Folha ouviu três banqueiros, dois economistas dos principais bancos de investimento e dirigentes de dois grandes fundos de private equity que atuam no país. E para eles, a pesquisa Datafolha divulgada na quinta-feira (13) mostrou que a ajuda financeira do governo para reduzir o impacto da pandemia nas famílias catapul
Dólar despenca na maior queda semanal desde 2008 e fecha abaixo de R$ 5

Dólar despenca na maior queda semanal desde 2008 e fecha abaixo de R$ 5

Economia
O dólar comercial fechou essa semana em queda de 2,8%, vendido a R$ 4,988, o menor valor desde 13 de março (R$ 4,813). É a primeira vez que o dólar fecha abaixo de R$ 5 desde 26 de março. Assim, a moeda fechou a semana com queda acumulada de 6,6%, a maior desde outubro de 2008. Também foi a terceira queda semanal seguida. No ano, porém, o dólar ainda acumula alta, de 24,29%. O Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores brasileira, emendou a sexta alta diária, de 0,86%, e fechou a 94.637,06 pontos. É o maior patamar desde 6 de março (97.996,77 pontos). Na semana, o índice acumulou alta de 8,28%, o terceiro avanço semanal seguido. Em 2020, a Bolsa tem queda acumulada de 18,17%. Em um mercado altamente especulativo, investidores reagiram positivamente aos índices emprego nos
Financial Times: Real é a moeda com pior desempenho do mundo e vai piorar ainda mais

Financial Times: Real é a moeda com pior desempenho do mundo e vai piorar ainda mais

Economia
Segundo o britânico Financial Times, o real brasileiro já é a moeda com o pior desempenho do mundo este ano, mas analistas e investidores alertam que ainda deve cair ainda mais. A maioria das moedas de mercados emergentes sofreu fortes impactos como resultado do surto de coronavírus em várias, incluindo a lira turca, atingindo baixos recordes. Mas o real ainda se destaca, com uma queda de 32% em relação ao dólar desde janeiro. No início do ano, os investidores podiam receber R$ 4 por dólar, mas em meados de maio o dólar valia R$ 5,96, marcando o ponto mais fraco de todos os tempos para a moeda brasileira. Agora, alguns dos mais influentes bancos de negociação de moedas acham que pode passar dos R$6. E ir além. "É improvável que o ritmo de declínio que vimos continue, mas esp
Mercado financeiro prevê queda de 5,12% na economia este ano

Mercado financeiro prevê queda de 5,12% na economia este ano

Economia, Expresso
Pela 14ª semana seguida, piorou a expectativa do mercado financeiro para o recuo do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país. Desta vez, a previsão de queda passou de 4,11% para 5,12%. A estimativa consta do boletim Focus, publicação divulgada semanalmente pelo Banco Central (BC), com a projeção para os principais indicadores econômicos. A previsão para o crescimento do PIB em 2021 segue em 3,20% e para 2022 e 2023 continua em 2,50%. A cotação do dólar deve fechar o ano em R$ 5,28. Na semana passada, a previsão era R$ 5. Para 2021, a expectativa é que a moeda americana fique em R$ 5, contra R$ 4,83 da semana passada.
Dólar fecha com recorde: R$ 5,90

Dólar fecha com recorde: R$ 5,90

Economia, Expresso
O dólar comercial fechou em alta de 0,61%, vendido a R$ 5,901 na venda. Foi o terceiro avanço seguido e a moeda bateu pelo segundo dia o recorde nominal (sem considerar a inflação) de fechamento desde a criação do Plano Real. No ano, o dólar acumula alta de 47,06%. O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, fechou em queda pelo terceiro dia seguido. O recuo hoje foi de 0,13%, a 77.772,20 pontos. É o menor nível em mais de um mês, desde 10 de abril (77.681,94 pontos).
Dólar fecha o dia valendo R$ 5,84, um novo recorde

Dólar fecha o dia valendo R$ 5,84, um novo recorde

Economia
O dólar comercial fechou em alta, pela quinta vez seguida. Agora, nesta quinta-feira (7), ele subiu 2,39% e encerrou o dia vendido a R$ 5,84. Este é um novo recorde de fechamento desde a criação do Plano Real. No ano, o dólar acumula alta de 45,53%. Ontem, o dólar já havia fechado com outro recorde, R$ 5,70, antes do anúncio do Banco Central, que cortou a taxa básica de juros (Selic) à mínima histórica de 3% ao ano. A redução de 0,75 ponto percentual foi mais forte do que o previsto pelo mercado e sinalizou que pode ocorrer mais um corte para estimular a economia, em meio aos impactos da pandemia de coronavírus.
Com dólar a R$ R$ 5,66, Real sofre a pior desvalorização semanal desde 2008

Com dólar a R$ R$ 5,66, Real sofre a pior desvalorização semanal desde 2008

Economia, Expresso
Na semana encerrada nesta sexta-feira (24),o Real perdeu 8% do seu valor ante o dólar, que fechou a R$ 5,66. Ele está R$ 0,42 mais caro que na semana passada. Nesta sessão, o dólar subiu 2,5% e foi ao seu terceiro recorde nominal seguido. No ano, a alta é de 41%, a maior desde 2015, quando a divisa dos Estados Unidos se valorizou 49% ante o real. Dentre todos as moedas do mundo, o real é a que mais perde valor em 2020. Política Durante o pregão desta sexta, o dólar chegou ao recorde de R$ 5,7450, após o pronunciamento de Moro sobre sua demissão. A Bolsa brasileira chegou a cair 9,6% logo após Moro encerrar sua fala. Caso a queda do Ibovespa superasse os 10%, seria acionado o mecanismo de circuit breaker, paralisando negociações por 30 minutos. Ao longo da tarde, a Bolsa red