23 de setembro de 2020Informação, independência e credibilidade
Policia

Tiro que matou a menina Ágatha no Rio partiu de PM

Policial tentou atingir dois traficantes que passavam em uma moto, “mas o projétil ricocheteoue atingiu Ághata no interior do veículo

Ágathá, de 8 anos, morta com um tiro nas costas no Alemão | Foto: Arquivo pessoal

A Polícia Civil do Rio concluiu que o disparo que matou a menina Ághata Vitória Sales Félix, 8, partiu da arma de um policial militar. O caso ocorreu no dia 20 de setembro na localidade conhecida como Fazendinha, no Complexo do Alemão, na zona norte da capital fluminense. A criança estava em uma kombi quando foi baleada.

O PM, lotado da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) da Fazendinha, foi indiciado pela morte. O inquérito da DH (Delegacia de Homicídios), responsável pela investigação, foi encaminhado ao Ministério Público do Rio. O nome dele não foi divulgado.

As investigações contaram com depoimentos de policiais militares em serviço pela UPP, outras testemunhas e resultados da perícia realizada no local. Uma reprodução simulada foi realizada no dia 1º de outubro.

“O resultado dessa perícia aponta, após criteriosa análise técnica, que houve erro de execução por parte do PM”. Inquérito da Polícia Civil.

Segundo as investigações, o policial tentou atingir dois traficantes que passavam em uma moto, “mas o projétil ricocheteou e atingiu Ághata no interior do veículo”, afirmam os investigadores.

A versão de confronto com traficantes sempre foi alegada pela Polícia Militar. Entretanto, os familiares de Ághata e o motorista da Kombi afirmam que não houve tiroteio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.