26 de junho de 2022Informação, independência e credibilidade
Blog da Graça Carvalho

Anivaldo Miranda vai a Brumadinho

Objetivo é verificar possíveis impactos ao rio São Francisco

O presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF), Anivaldo Miranda, fará uma visita ao local onde houve o rompimento da barragem de rejeitos em Brumadinho (MG). Ele viajou nesta terça-feira (29)  e deve chegar à região nesta quarta, dia 30.

Oobjetivo é articular possíveis ações capazes de minorar os efeitos do acidente. Para ele, depois desse primeiro momento – de salvamento – será a vez de preservar o reservatório de Três Marias, que está localizado no Rio São Francisco. A esperança é que o reservatório de Retiro Alto evite a contaminação do local.
Miranda se baseia em informações oficiais para indicar que a possibilidade de danos ao Rio São Francisco é praticamente inexistente, no aspecto de qualidade da água.

Anivaldo Miranda, presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF)

Segundo ele, poderia acontecer um impacto dependo das chuvas. “Porém, a morte do Rio Paraopeba é um acidente de proporções planetárias. Para a maioria dos países do mundo, esse seria um dano inaceitável. No Baixo e no Submédio São Francisco, se houver alteração na qualidade da água será imperceptível”, afirma o presidente do CBHSF.

Na visita que fará a Brumadinho, Anivaldo Miranda irá prestar solidariedade ao Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Paraopeba e às comunidades. “Mas, sobretudo, vamos buscar medidas para acompanhar a evolução da pluma de rejeitos no leito do Paraopeba”, complementou ele. Entre Brumadinho e o leito do Velho Chico, são cerca de 300 Km e a pluma se desloca lentamente.

De acordo com Miranda, que manteve contato com a Agência Nacional de Águas (ANA), os órgãos responsáveis, como a própria ANA, o Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam), a CPRM, responsável pelo monitoramento geológico, estão envolvidos para acompanhar a quantidade de sedimentos e como está acontecendo a diluição e como deverá chegar à ultima hidrelétrica antes de Três Marias, que é Retiro Baixo.

De acordo com Miranda, o CBHSF está se mobilizando a partir da Câmara Consultiva Regional (CCR) do Alto São Francisco para reunião no dia 1º. “Iremos explicar às populações e acalmar, na medida do possível”, explica ele. A respeito da qualidade da água em Três Marias, Anivaldo Miranda considera que o problema afetará a qualidade da água do reservatório.

Miranda aproveitou, ainda, para ressaltar a necessidade de manutenção das licenças ambientais e o seu permanente acompanhamento. “Caiu por terra o discurso que tenta apresentar a política ambiental como algo demoníaco e de menos importância. Comprova-se a necessidade dos licenciamentos ambientais e a segurança necessária”, finalizou.    (Fonte: ASCOM/CBHFS/Delane Barros)