14 de maio de 2021Informação, independência e credibilidade
Brasil

Após mais de 400 mil mortos e uma CPI, Saúde contraindica cloroquina em internações por Covid-19

Protocolo que evitará hidroxicloroquina, ivermectina, redemsivir e outros sem eficácia, no entanto, vale apenas para o ambiente hospitalar

Demorou, mas aconteceu: precisou passar mais de um ano de pandemia, com quase 410 mil óbitos confirmados por Covid-19, mas o ministério da Saúde finalmente vai contraindicar, em ambiente hospitalar, remédios como cloroquina, hidroxicloroquina, ivermectina, redemsivir e outros sem eficácia comprovada.

O protocolo para tratamento farmacológico do coronavírus na internação, encomendado pelo ministro Marcelo Queiroga (Saúde) a um núcleo técnico-científico criado por ele assim que assumiu o cargo, também é uma resposta à CPI da Pandemia, que também nesta terça recebe em seu primeiro dia de depoimentos os ex-ministros Luis Henrique Mandetta e Nelson Teich.

Protocolo

O protocolo, elaborado por grupo encabeçado pelo médico e professor da USP Carlos Roberto de Carvalho, indicará o uso de anticoagulantes e corticoides no tratamento da Covid-19.

O documento, no entanto, não tratará da utilização deles fora do ambiente hospitalar. O escopo do grupo técnico é apenas o tratamento da Covid-19 desde a chegada no hospital até o pós-Covid.

Os protocolos têm três partes: um fluxograma, que pode ser visualizado em tela de celular ou ser impresso e pendurado em paredes de hospitais e UTIs; um texto explicativo, mais detalhado, porém breve e objetivo; e um pequeno filme para ilustrar os procedimentos (como colocar as máscaras, etc.).

One Comment

Comments are closed.