8 de março de 2021Informação, independência e credibilidade
Maceió

Assembleia de rodoviários da Cidade de Maceió vota a favor da greve

Ontem, funcionários da São Francisco decidiram pelo mesmo e nos próximos dias votam os da Real Alagoas e Veleiro

Em assembleia realizada na manhã desta quarta-feira (27), os funcionários da empresa Cidade de Maceió, no Tabuleiro do Martins, decidiram pela greve da categoria na Capital.

Os coletivos já saíram da garagem com atraso nesta manhã, deixando parte dos maceioenses à espera em pontos de ônibus da capital, assim como aconteceu na terça na São Francisco. O mesmo acontecerá amanhã e sexta, com a Real Alagoas e Veleiro.

A categoria pede reajuste salarial, defasado desde 2019, e o pagamento de tickets de alimentação e planos de saúde. Assim como a Cidade de Maceió, os rodoviários da São Francisco também aprovaram a greve geral.

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Alagoas (Sinttro/AL), há uma possibilidade de paralisação dos rodoviários de todas as empresas já a partir da próxima semana e será decidido em assembleias na Real Alagoas (28) e Veleiro (29). Nesses dias e locais, o transporte sai das garagens a partir das 7 horas.

Sinturb

Por sua vez, o Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros de Maceió (Sinturb) afirma que há meses comunica a categoria sobre a atual situação das empresas quanto aos prejuízos acumulados com a queda de passageiros e os efeitos da pandemia nos últimos meses.

Em 2020, por exemplo, as empresas perderam em média mais de 50% dos passageiros. E neste ano já entrou em vigor a redução de 30 centavos do valor da passagem, após decreto de JHC. O MPE/AL pede um estudo sobre o mesmo.

Confira a nota na íntegra da Sinturb:

O Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros de Maceió (Sinturb) esclarece que há meses vêm comunicando a categoria sobre a atual situação das empresas quanto aos prejuízos acumulados com a queda de passageiros e os efeitos da pandemia nos últimos meses.

Em 2020 as empresas perderam em média mais de 50% dos passageiros. Mas mesmo diante de tantos prejuízos, as empresas vêm fazendo esforços para honrar com todos os compromissos com os trabalhadores e está em dia com os pagamentos dos rodoviários, bem como benefícios como plano de saúde e ticket alimentação. Porém, a situação se agravou ainda mais com o fim do programa do Governo Federal que garantiu auxilio as empresas nos últimos meses.

Em todas as convenções coletivas realizadas até 2019, os rodoviários conseguiram ganhos reais acima da inflação.

O Sinturb enxerga a greve como ilegal em um período delicado para as empresas. Uma possível paralisação trará ainda mais prejuízos para o setor, dificultando o funcionamento do serviço e o fechamento de contas. Assim como, trará prejuízos para a população que depende diariamente do transporte público.

As empresas não concordam com a possível paralisação e irão tomar as medidas necessárias para que o transporte de Maceió não pare.