9 de março de 2021Informação, independência e credibilidade
Brasil

Bolsonaro fala em vacinação para economia se normalizar, mas nem a mãe de 93 anos foi vacinada

Presidente diz estar preocupado com a vida, mas votação entre irmãos continua diante da “falta de comprovação científica”

Em entrevista “Brasil Urgente”, da TV Bandeirantes, o presidente Jair Bolsonaro seguiu em sua rotina de contradições, mas sem nunca admitir que está errado.

Apesar das mais de 230 mil mortes provocadas pelo coronavírus deste o início da pandemia, seu foco continua sendo a economia. E para o presidente, a solução para voltar à normalidade econômica é com vacinação – a mesma que ele continua sabotando, dizendo não ter comprovação científica. E pior: que não ofereceu para a própria mãe de 93 anos.

“Meus irmãos decidiram, estão votando aqui se a minha mãe vai ser vacinada ou não com 93 anos de idade. Eu já dei meu voto lá, votei sim. Com 93 anos ser vacinada mesmo com uma vacina aí, não está comprovada cientificamente”. Jair Bolsonaro.

O presidente, portanto, continua com seu discurso negacionista e mentiroso: se antes dizia que o novo coronavírus provocaria apenas uma gripezinha, para depois bancar uma absurda produção e comércio de remédios que não funcionam contra a covid-19 e ativamente sabotara vacinação no país, ele segue na mesma tocada. E não dá o braço a torcer nem quando o assunto é a própria mãe.

Bolsonaro, que usa a Bíblia para se dizer um bastião da verdade, mentiu novamente ao literalmente dizer que nunca foi contra a vacina. Vale lembrar: ele comemorou até mesmo o suicídio de um voluntário e a considerou uma vitória sua contra João Doria, governador de São Paulo e seu rival político.

Vacinação até 2026

Vale lembrar: segundo Luiz Gustavo de Almeida, microbiologista da Universidade de São Paulo (USP), no ritmo em que a vacinação contra a Covid-19 é conduzida no Brasil, o País levaria mais de quatro anos para ter toda a sua população imunizada.

Durante a campanha de vacinação contra a gripe em março do ano passado, já em plena pandemia do novo coronavírus, os brasileiros vacinavam até um milhão de pessoas por dia. Atualmente, a média de imunizações diárias é de um quinto disso, 200 mil pessoas.

E seguindo diante todos esses fatos e evidências, como confiar em uma vacinação ampla e eficaz em todo o território nacional, se nem mesmo o presidente vacina a própria mãe? Ainda mais mantendo esse discurso de sabotagem contra a vacinação.

Pelo 19º dia consecutivo, o Brasil apresentou média de mortes por covid-19 superior a mil.O total de mortes no país chegou a 232.248 desde o começo da pandemia, com um total de infectados para 9.550.301. O Brasil superou a marca dos 3,7 milhões de vacinados contra a doença.