24 de junho de 2021Informação, independência e credibilidade
Brasil

CPI da Covid decide hoje convocação de governadores e prefeitos

Serão convocados os governadores que foram alvos de investigação da Polícia Federal na pandemia

CPI analisa hoje convite a governadores e prefeitos

Depois de um mês da instalação da CPI da Covid, senadores da base e da ala independente conseguem direcionar os trabalhos, também, para estados e municípios. O principal foco da reunião deliberativa de hoje do colegiado é votar o convite a 10 governadores e 12 prefeitos para prestar esclarecimentos sobre a aplicação de verbas liberadas pela União para o enfrentamento da pandemia.

O presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), destacou outros pedidos protocolados na comissão. “Temos muitos requerimentos convidando, convocando especialistas pró e contra a cloroquina. Vamos passar três anos e não vamos ouvir todos. Precisamos fluir. (…). Mas vamos ouvir muitos cientistas, convocar o segundo escalão da saúde todo.” Outro assunto que pode ser votado é a reconvocação do ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello e do atual ocupante da pasta, Marcelo Queiroga. Devem ficar fora, porém, pedidos para quebra de sigilos telefônicos e outros meios de comunicação.

Um dos principais defensores do governo da CPI, o líder do DEM no Senado, Marcos Rogério (RO), por exemplo, queixou-se que a decisão de chamar governadores e prefeitos teria acontecido em uma “reunião secreta” da oposição com a cúpula do colegiado, que ele chamou de “gabinete paralelo”.

O senador Otto Alencar (PSD-BA), porém, respondeu que os governistas não participam dos encontros por iniciativa própria. Ele também destacou que serão chamados apenas gestores estaduais e municipais citados em apurações da Polícia Federal. A exceção é o Distrito Federal: Ibaneis Rocha está na lista de convidados, mas a gestão dele na área da Saúde é investigada pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT).

Entre os estados citados estão Amazonas, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Rondônia. Além disso, há uma lista de requerimentos governistas que também trazem uma série de governadores, vices e secretários. Os documentos datam de 28 de abril e reúnem Wilson Lima, do Amazonas; Rui Costa, da Bahia; Hélder Barbalho, do Pará; João Doria, de São Paulo; Wellington Dias, do Piauí (na condição de representante do Fórum dos Governadores); e o vice-governador do Amazonas, Carlos Almeida Filho. Porém nem todos os citados são investigados pela Polícia Federal.