27 de janeiro de 2022Informação, independência e credibilidade
Mundo

Embaixador convida Onyx para conversa após dizer que Noruega precisa “aprender”

Brasil e Noruega firmaram um acordo em 2009 para que o país europeu fosse um dos principais doadores do Fundo Amazônia

Nesta segunda, o deputado federal e futuro ministro da Casa Civil do governo Bolsonaro, Onyx Lorenzoni (DEM-RS), foi desnecessariamente irônico em entrevista coletiva quando comparou as atuações do Brasil e Noruega em relação à preservação do meio ambiente.

“O que nós fizemos não vale nada, o que vale é a Noruega. E a floresta norueguesa, quanto eles preservaram? Só uma coisa importante que tem que ser lembrada: o Brasil preservou a Europa inteira territorialmente, toda a União Europeia, com as nossas matas, mais cinco Noruegas. Os noruegueses têm que aprender com os brasileiros, e não a gente aprender com eles.”

A resposta nada diplomática, claro, incomodou. E o embaixador da Noruega no Brasil, Nils Martin Gunneng, respondeu nesta terça-feira (13). Por meio de sua conta no Twitter, Gunneng afirma ter orgulho da parceria de seu país com o Brasil e que os resultados são “impressionantes”.

Acordo

Brasil e Noruega firmaram um acordo em 2009 para que o país europeu fosse um dos principais doadores do Fundo Amazônia. Até 2017, foram contabilizados mais de US$ 1,1 bilhão em doações. Em dezembro do ano passado, o Fundo Amazônia recebeu uma doação de R$ 139,3 milhões do governo norueguês e uma de R$ 139,3 milhões do Banco de Desenvolvimento da Alemanha.

As verbas recebidas são geridas pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e aplicadas na restauração de áreas desmatadas. No final de junho do ano passado, receoso com o aumento do desmatamento na floreta amazônica (que atingiu 8.000 km² em 2016, pior número desde 2008), o governo norueguês anunciou um corte nos investimentos no Fundo Amazônia.