20 de abril de 2021Informação, independência e credibilidade
Brasil

Frente Nacional de Prefeitos anuncia consórcio para comprar vacinas

Entidade diz que discurso “controverso” do governo Bolsonaro não dá segurança

FNP não quer mais esperar pelas ações do governo federal

O presidente da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), Jonas Donizette (PSB), afirmou nesta sexta-feira (5) que a razão de a entidade estar constituindo um consórcio público para a compra de vacinas contra a covid-19 é o discurso “controverso” no governo federal que não dá segurança a gestores municipais de que haverá imunizantes na quantidade de que o País precisa.

Um total de 1.703 municípios, dentre os quais 23 capitais estaduais, formalizou interesse em participar do mecanismo, que será constituído oficialmente em 22 de março. Segundo a Frente, o grupo de cidades interessadas soma mais de 125 milhões de habitantes, o que corresponde a cerca de 60% da população brasileira.

A FNP formulou uma minuta de projeto de lei (PL) que cada prefeitura poderá baixar no site da entidade e enviar à respectiva Câmara Municipal. Uma vez recebida a autorização legislativa, a cidade tornará oficial sua adesão ao consórcio.

Ex-prefeito de Campinas (SP), Donizette explicou, em entrevista coletiva encerrada há pouco, que os municípios consorciados vão atrás de “todas as doses disponíveis de todas as marcas de vacina”. Segundo ele, gestores têm disposição de aportar recursos no consórcio, mas não citou valores concretos.

A distribuição de fármacos adquiridos pelo mecanismo vai seguir o critério da origem do recurso. Se a verba para compra de um determinado quantitativo de doses for, por exemplo, federal, internacional ou oriunda de doação, cada cidade do consórcio receberá um porcentual de doses proporcional a sua população.

CONTINUA D